Argentina exigirá passaporte de vacina a partir de 1º de janeiro

Maiores de 13 anos que frequentam atividades de "maior risco epidemiológico" devem comprovar vacinação completa contra a Covid-19

Já no caso das exportações o avanço foi bem menor, de 6,3%
Já no caso das exportações o avanço foi bem menor, de 6,3% Pexels/Freerange

Da CNN em Espanhol

Ouvir notícia

O governo argentino vai exigir o passaporte de vacinação sanitária a partir de 1º de janeiro de 2022. De acordo com a decisão administrativa publicada no Diário Oficial, todas as pessoas maiores de 13 anos que frequentam atividades de “maior risco epidemiológico e sanitário” devem comprovar o esquema de vacinação completo contra a Covid-19.

A medida também estabelece que a vacinação deve ter sido aplicada há pelo menos 14 dias antes. Além disso, o passe de saúde deve ser apresentado a pedido do pessoal designado para verificação e em horário prévio, conforme publicação.

E acrescenta que o estado de vacinação pode ser credenciado por meio do aplicativo no celular Cuidar. Quem não tiver acesso a este aplicativo poderá solicitar o certificado de vacinação em papel ou em formato digital junto ao órgão competente.

Primeira província argentina a solicitar passaporte de vacina

Tucumán foi a primeira província da Argentina a implementar o passe de saúde. De acordo com o Ministério da Saúde da província, desde o anúncio da medida, a vacinação na região aumentou 140%.

Após observar os resultados, a ministra da Saúde da Argentina, Carla Vizzotti, antecipou que não descartou a possibilidade de implantação do passaporte da vacina em todo o país. Além disso, a partir de 21 de dezembro também será colocado em prática na capital Buenos Aires.

Com informações de Betiana Martino e Florencia Trucco.

(Texto traduzido, leia original em espanhol aqui)

Mais Recentes da CNN