Armênia, Azerbaijão e Rússia assinam acordo para terminar conflito

Guerra por região de Nagorno-Karabakh começou em 27 de setembro

Edificações destruídas em Stepanakert, na região de Nagorno-Karabakh
Edificações destruídas em Stepanakert, na região de Nagorno-Karabakh Foto: Hayk Baghdasaryan - 8.out.2020/Photolure/Reuters

Reuters

Ouvir notícia

 

Líderes da Armênia, Azerbaijão e Rússia declararam na manhã de terça-feira (10), no horário local, ter assinado para terminar o conflito militar sobre a região de Nagorno-Karabakh, após mais de um mês de contenda.

O primeiro-ministro armeno Nikol Pashinyan anunciou o ato nas redes sociais; depois, o Kremlin e o presidente do Azerbaijão, Ilham Alyev, confirmaram a notícia.

“Essa declaração trilateral assinada se tornará um ponto crucial no acordo deste conflito”, disse Alyev em uma reunião televisionada com o presidente russo, Vladimir Putin. 

O líder da região de Nagorno-Karabakh, Arayik Harutyunyan, disse em uma publicação no Facebook ter dado o aval “para terminar a guerra o mais breve possível”. 

Leia também:

Entenda por que Azerbaijão e Armênia estão em conflito em Nagorno-Karabakh

O acordo segue seis semanas de luta intensa e avanço das tropas do Azerbaijão. A capital do país, Baku, disse nesta segunda (9) ter conquistado dúzias de assentamentos na região, um dia depois de proclamar vitória na batalha pela segunda maior cidade do enclave. 

“A decisão foi feita baseada em análises profundas da situação de combate e em discussão com os melhores especialistas da área”, disse Pashinyan nas redes sociais. “Isso não é uma vitória, mas não há derrota até que você se considere derrotado. Nós nunca nos consideraremos derrotados e isso deve se tornar um novo início de uma era de unidade nacional e renascimento”. 

O conflito levantou temores de uma guerra mais ampla na região, com a Turquia apoiando o Azerbaijão e a Armênia com um pacto de defesa e uma base militar na Rússia.

O Azerbaijão diz, desde 27 de setembro, ter retomado grande parte da terra dentro e ao redor da região de Nagorno-Karabakh, que prdeu em uma guerra de 1991 a 1994 que deixou cerca de 30 mil mortos e outros mais desabrigados. A Armênia nega a extensão dos ganhos territoriais azerbaijanos.

Mais Recentes da CNN