Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ataque do Hamas deve unir Biden e Netanyahu e colocar diferenças de lado, diz jornalista em Israel

    Mudanças propostas por Netanyahu ao Judiciário causaram crise em Israel e dividiram a sociedade no país; além disso, impactaram a economia israelense e levaram preocupação a aliados do Ocidente.

    Jornalista Daniela Kresch à CNN
    Jornalista Daniela Kresch à CNN Reprodução CNN

    Da CNN*

    A jornalista Daniela Kresch, afirmou em entrevista à CNN neste sábado (7), direto de Tel Aviv, em Israel, que os ataques do Hamas deve promover a união entre o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, e o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden.

    “O presidente americano tá bastante melindrado com essa tentativa de reforma judiciária que o Netanyahu quer fazer em Israel. Mas certamente isso tudo vai ser colocado de lado neste momento, para pensar na segurança de Israel”, disse.

    As mudanças propostas por Netanyahu causaram crise em Israel e dividiram a sociedade no país. Além disso, impactaram a economia israelense e levaram preocupação a aliados do Ocidente.

    Kresch destacou, contudo, que as diferenças entre os líderes devem ser deixadas de lado apenas momentaneamente. “Não vai ser uma aproximação de camaradagem”, apontou.

    De acordo com as Forças de Defesa de Israel (FDI), o ataque partiu da Faixa de Gaza. Mais cedo, o comandante militar do Hamas, Muhammad Al-Deif, divulgou uma mensagem gravada anunciando a operação “Tempestade Al-Aqsa”, onde diz que o grupo militante palestino “alvejou as posições inimigas, aeroportos e posições militares [de Israel]” com milhares de foguetes.

    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que o país está “em guerra” após o ataque surpresa. “Cidadãos de Israel, estamos em guerra – não numa operação, não em rondas – em guerra”, disse Netanyahu numa mensagem de vídeo.

    O ataque deixou ao menos 100 mortos e centenas de feridos.