Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ataques israelenses na Síria deixam vítimas civis e militares, diz mídia estatal síria

    Trinta e oito pessoas foram mortas, segundo a Reuters, incluindo cinco membros do grupo armado libanês Hezbollah

    Foto mostra fumaça subindo em local de Damasco, na Síria, que foi alvo de um provável ataque israelense, segundo a mídia estatal síria.
    Foto mostra fumaça subindo em local de Damasco, na Síria, que foi alvo de um provável ataque israelense, segundo a mídia estatal síria. Sham FM

    Eyad KourdiNadeen Ebrahimda CNN

    Uma série de ataques aéreos israelenses contra áreas próximas à cidade síria de Aleppo na sexta-feira (29) causaram vítimas entre civis e militares, de acordo com a agência de notícias estatal síria SANA.

    Trinta e oito pessoas foram mortas, segundo a Reuters, incluindo cinco membros do grupo armado libanês Hezbollah. Um dos combatentes do Hezbollah era um comandante de campo local cujo irmão foi morto num ataque israelense no sul do Líbano em novembro, disse a Reuters.

    Aviões de guerra israelenses iniciaram um ataque por volta de 1h45, no horário local, na direção de Athriya, sudeste de Aleppo, segundo uma fonte militar citada pela SANA.

    As Forças de Defesa de Israel se recusaram a comentar o ataque.

    Israel já lançou ataques contra Aleppo e a capital síria, Damasco, inclusive antes da guerra de 7 de outubro, dizendo temer que o Irã transformasse a Síria numa “base de agressão” contra o Estado judeu.

    Tanto a Síria como Israel se consideram inimigos e não partilham relações diplomáticas.

    Os ataques de sexta-feira são alguns dos mais mortais desde que Israel intensificou a sua campanha militar contra grupos apoiados pelo Irã na Síria e outros no ano passado, após o ataque de 7 de outubro a Israel pelo grupo Hamas, apoiado pelo Irã.

    Após o ataque do Hamas, os confrontos entre grupos apoiados pelo Irã na região e Israel aumentaram notavelmente. Grupos armados também se envolveram em ataques com tropas dos EUA que apoiam Israel no Oriente Médio .

    Embora o ataque possa não ser qualitativamente diferente de outros ataques que Israel lançou contra alvos na Síria, pode agora estar concentrando esses ataques no Hezbollah e nos seus ativos no país, disse Heiko Wimmen, diretor de projetos para o Iraque, Síria e Líbano no International Crisis Group.

    “É provavelmente uma forma de aumentarem a pressão sobre o Hezbollah fora do Líbano”, disse Wimmen, acrescentando que o cálculo de Israel poderia ser que atacar os ativos do Hezbollah na Síria equivale a “um degrau menor na escada da escalada” do que fazê-lo no país natal do grupo.

    Movimento islâmico apoiado pelo Irã e com uma das forças paramilitares mais poderosas do Oriente Médio, o Hezbollah está desde 7 de outubro envolvido em intensos combates nas fronteiras com Israel. O seu envolvimento na guerra suscitou receios de que a guerra de Israel em Gaza pudesse repercutir num conflito regional mais amplo.

    O Hezbollah mantém uma forte presença na Síria, desde os protestos da Primavera Árabe de 2011, que em algumas partes do Oriente Médio se transformaram em guerras por procuração. O Hezbollah foi um participante ativo, lutando ao lado das forças alinhadas com o Irã na Síria e em nome do ditador sírio Bashar al-Assad, que reprimiu brutalmente a oposição.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original