Ativista de Belarus desaparecido é encontrado morto em parque na Ucrânia

Vital Shyshou liderou organização que ajudava belarrussos que fugiam da perseguição causada por Alexander Lukashenko; ele desapareceu nesta segunda-feira

Reuters

Ouvir notícia

Um ativista belarusso foi encontrado morto em um parque perto de sua casa em Kiev, na Ucrânia, na manhã desta terça-feira (3), um dia depois de seu desaparecimento, disse a polícia ucraniana.

Vital Shyshou, que liderou uma organização com sede em Kiev, na Ucrânia, que ajuda belarussos que fugiam da perseguição no país, foi dado como desaparecido por seu parceiro nesta segunda-feira, depois de não voltar para casa após uma corrida.

A polícia disse que abriu um processo criminal por suspeita de assassinato, mas investigaria todas as possibilidades, incluindo assassinato disfarçado de suicídio. Eles afirmaram que irão questionar testemunhas e analisar gravações de câmeras de segurança, e pediram para aqueles que conheciam Shyshou para se pronunciarem caso tenham alguma informação relevante sobre as últimas semanas de sua vida.

Vitaly Shishov
Vitaly Shishov, que auxiliava o exílio de belarrussos que fugiam da repressão do governo Lukashenko em países vizinhos
Foto: Cedida pelo Congresso de Belarus

“O cidadão belarusso Vital Shyshou, que desapareceu ontem em Kiev, foi encontrado enforcado hoje em um dos parques de Kiev, não muito longe de seu local de residência”, diz o comunicado da polícia.

Ucrânia, Polônia e Lituânia se tornaram paraísos para os belarussos durante uma ofensiva do presidente Alexander Lukashenko após uma eleição disputada no ano passado.

Local onde foi encontrado o corpo de Vitaly Shishov
Local onde o corpo de Shishov foi encontrado, em um parque perto de sua residência em Kiev, Ucrânia
Foto: Gleb Garanich/Reuters

Shishov liderou o grupo Belarusian House in Ukraine (BDU, na sigla em inglês), que ajuda os belarussos a encontrar acomodação, empregos e aconselhamento jurídico, de acordo com seu site.

 

A organização disse nesta segunda-feira que não foi capaz de contatar Shyshou. Eles disseram que Shyshou deixou sua residência às 9h (no horário local) e deveria ter retornado uma hora depois.

Alexander Lukashenko assina documento durante cerimônia de posse em Belarus
Alexander Lukashenko assina documento durante cerimônia de posse em Belarus
Foto: Andrei Stasevich - 23.set.2020/ BelTA/ Reuters

As autoridades belarussas caracterizaram os manifestantes antigovernamentais como criminosos ou revolucionários violentos apoiados pelo Ocidente e descreveram as ações das agências de aplicação da lei como adequadas e necessárias.

Centenas de milhares de belarussos participaram de protestos em massa em todo o país depois que Lukashenko declarou vitória em eleições em agosto de 2020, em algumas das maiores manifestações da história do país.

Milhares de pessoas foram presas nos protestos, que foram brutalmente reprimidos pelas autoridades, com vítimas relatando abuso e tortura. Imagens de câmera corporal, fornecidas por desertores da força policial, mostraram a violência da tropa de choque contra manifestantes desarmados e pacíficos, muitos deles adolescentes.

Muitos fugiram da repressão ao regime de Lukashenko, às vezes nadando em rios e rastejando por lama para cruzar ilegalmente a fronteira com a Ucrânia.

Reportagem de Natalia Zinets e Ilya Zhegulev; escrita por Matthias Williams  e com edição de Andrew Heavens e Peter Graff

*Com informações de Radina Gigova, Denis Lapin e Jessie Young, da CNN.

Mais Recentes da CNN