Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Biden diz que Hamas abusou de mulheres durante ataque em Israel

    Presidente americano apelou às organizações internacionais para que condenem a violência sexual “sem exceção”

    Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden
    Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden 03/12/2023REUTERS/Nathan Howard

    Reuters

    O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse na terça-feira que o Hamas estuprou repetidamente mulheres e mutilou seus corpos durante o ataque de 7 de outubro ao sul de Israel, citando sobreviventes e testemunhas.

    Falando em um evento político de arrecadação de fundos em Boston, Biden disse que relatos de “crueldade inimaginável” foram compartilhados nas últimas semanas.

    “Relatos de mulheres estupradas — repetidamente estupradas — e seus corpos sendo mutilados enquanto ainda estavam vivas, de cadáveres de mulheres sendo profanados, de terroristas do Hamas infligindo tanta dor e sofrimento quanto possível a mulheres e meninas e depois as assassinando.”

    O presidente apelou às organizações internacionais, à sociedade civil e aos indivíduos para que condenem a violência sexual “sem exceção”.

    A polícia israelense está investigando possíveis crimes sexuais cometidos por algumas das poucas centenas de pessoas que prendeu após o ataque de 7 de outubro. O Ministério da Justiça de Israel disse que “as vítimas foram torturadas, abusadas fisicamente, estupradas, queimadas vivas e desmembradas”.

    Em comunicado no canal do Telegram, o Hamas disse que denunciou a “tentativa de Biden de acusar falsamente” seus combatentes de cometerem violência sexual e violação em 7 de outubro.

    O grupo islâmico disse que Biden se juntou às iniciativas de Israel para encobrir crimes de guerra em Gaza, cometidos com o apoio dos EUA, e para enganar a opinião pública.

    Israel realizou um evento nas Nações Unidas em Nova York na segunda-feira (04), focado na violência sexual contra as mulheres durante o ataque de 7 de outubro. O país tem criticado a resposta do organismo mundial aos ataques.

    Mais Recentes da CNN

    Mais Recentes da CNN