Biden e Sanders debatem com foco em coronavírus e enfatizam diferenças entre si

Postulantes do Partido Democrata discutem sobre a criação de um sistema universal de saúde e se comprometem com tratamento gratuito a imigrantes ilegais

Em debate, Joe Biden (à esq.) e Bernie Sanders (à dir.) se cumprimentam usando os cotovelos por conta de pandemia de coronavírus
Em debate, Joe Biden (à esq.) e Bernie Sanders (à dir.) se cumprimentam usando os cotovelos por conta de pandemia de coronavírus Foto: Kevin Lamarque/Reuters

Da CNN Brasil, em São Paulo*

Ouvir notícia

A pandemia do coronavírus ganhou os holofotes durante o debate entre os pré-candidatos democratas à Presidência dos Estados Unidos. O ex-vice-presidente Joe Biden e o senador Bernie Sanders debateram em Washington e buscaram marcar as diferenças entre um e outro, na forma como combateriam a COVID-19 e em suas relações com nações estrangeiras e com o mercado financeiro.

Diante de uma crise de saúde pública, o senador por Vermont enfatizou o fato de liderar a defesa por um sistema público de saúde nos Estados Unidos. Para Sanders, a ausência de algo neste modelo deixa os EUA despreparados para lidar com o novo coronavírus.

“O nosso sistema não é preparado para providenciar cuidados de saúde. Em um bom ano, sem a epidemia, nós estamos perdendo perto de 60 mil pessoas que morrem todos os anos porque náo conseguem ser atendidos por um médico à tempo”, afirmou o senador.

Leia também

Perfil: Biden, a escolha segura do centro democrata contra Trump

Perfil: socialista, Sanders desafia establishment democrata

Trump classifica debate democrata como “chato” e nega corte no Medicare 

Biden rebateu de que a existência de um sistema de saúde universal resolveria a crise, citando a Itália como exemplo. “Com todo respeito ao Medicare for All [nome do projeto], você tem um sistema de pagador único na Itália. Isso não funciona lá. Isso não tem nada a ver com o Medicare For All. Aquilo não resolveria nosso problema de forma alguma”, rebateu.

O ex-vice presidente afirmou que o coronavírus é como uma guerra, que dependeria de um “líder” para ser enfrentada. “Isso é como uma guerra e em uma guerra você faz tudo que for necessário para tomar conta do seu povo”, disse. “Tudo o que você precisa para lidar com a crise será de graça”, disse.

Imigrantes ilegais

Contrastando com a política adotada pelo presidente Donald Trump, os dois postulantes democratas defenderam o atendimento a imigrantes ilegais que venham a ser detectados com a COVID-19. 

“Qualquer um que apareça para ser testado para coronavírus ou pegue coronavírus e seja tratado será considerado inofensivo”, afirmou Biden. “Nós temos que garantir que qualquer um se sinta confortável para buscar os cuidados de saúde de que necessite. Esse deve ser o principal geral acima e abaixo do coronavírus”, disse Sanders.

As diferenças entre eles

Os candidatos também aproveitaram o encontro para delinear as diferenças entre eles. Para se contrapor a Bernie Sanders, Joe Biden afirmou que ele também, está “legitimamente preocupado com a desigualdade” nos EUA, mas que os americanos estão “buscando resultados, não uma revolução”. 

Em contraponto, Sanders afirmou que “não é bom o suficiente não entender como nós chegamos aqui e onde nós queremos ir para o futuro”, acenando com a necessidade de mudanças mais profundas. “Nós teremos que desenvolver uma economia em que metade da nossa população não esteja vivendo salário a salário e sofrendo para colocar comida na mesa”.

O ex-vice-presidente buscou colar no senador a marca de ter elogiado regimes que julga autoritários, como Cuba, China e Venezuela. “Eu sou um democrata com “D” maiúsculo, que acredita que essa base é a base do Partido Democrata”, disse.

Já Sanders enfatizou ser o candidato mais próximo a diversidade da população americana. “Eu penso que o imperativo é que nós derrotemos Trump. Eu acredito que a nossa campanha de bases birraciais e multigeracionais é o jeito de fazer isso”.

*Com informações da CNN

Mais Recentes da CNN