Boris Johnson apresenta melhora, mas segue na UTI, diz ministro britânico

‘Ele está estável, melhorando, se sentou e interagiu com a equipe médica’, informou Oliver Dowden

Boris Johnson, de 55 anos, foi internado no hospital St. Thomas na noite de domingo (5) com febre e tosse
Boris Johnson, de 55 anos, foi internado no hospital St. Thomas na noite de domingo (5) com febre e tosse Foto: Simon Dawson - 12.mar.2020/ Reuters

Reuters

Ouvir notícia

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, apresentou melhora nesta quinta-feira (9) em uma unidade de tratamento intensivo (UTI) onde luta contra o novo coronavírus. Enquanto isso, o governo britânico prorrogou um mecanismo de retirada de fundos e revisou um isolamento mais rigoroso a ser adotado em tempos mais tranquilos.

Johnson, de 55 anos, foi internado no hospital St. Thomas na noite de domingo (5) com febre e tosse e foi encaminhado à UTI no dia seguinte. Ele recebeu oxigênio, mas não foi ligado a um ventilador.

“As coisas estão melhorando para ele”, disse o ministro da Cultura, Oliver Dowden, nesta quinta. “Ele está estável, melhorando, se sentou e interagiu com a equipe médica.”

Leia também: 

Boris Johnson faz tratamento com oxigênio na UTI; e quem está no poder agora?

Análise: Boris Johnson na UTI muda percepção do Reino Unido sobre COVID-19

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que Johnson parecia estar “melhor” depois do que descreveu como um “período duro”.

Crise econômica

Com o premiê na UTI, o governo britânico enfrenta duas grandes questões: como financiar um aumento enorme nos gastos estatais para apoiar a economia parada e quando começar a amenizar as medidas de isolamento.

Agora que a quinta maior economia do mundo pode enfrentar sua maior crise econômica desde a 2ª Guerra Mundial, em meio a gastos e cortes de impostos históricos, o governo disse que ampliou o mecanismo de saques com o Banco da Inglaterra.

A instituição concordou em custear temporariamente os empréstimos governamentais em resposta à COVID-19 se os fundos não puderem ser angariados de imediato nos mercados de dívida, ressuscitando uma medida usada pela última vez durante a crise financeira de 2008.

O governo e o banco disseram que qualquer empréstimo do mecanismo será ressarcido até o fim do ano.

Vácuo no poder britânico

Embora se tenha anunciado uma melhora no quadro de Johnson, não está claro quanto tempo ele pode ficar incapacitado, e alguns analistas políticos dizem que existe um vácuo de poder em sua ausência.

O Reino Unido está entrando no que cientistas dizem ser a fase mais mortífera do surto, já que se acredita que o número de mortes continuará subindo no fim de semana da Páscoa. As cifras mais recentes mostram que o total de vítimas da COVID-19 nos hospitais do país chegou a 7.097.

O órgão de reação de emergência do governo britânico se reunirá nesta quinta para debater como deve lidar com uma revisão das medidas de isolamento. Dominic Raab, secretário das Relações Exteriores e vice designado de Johnson, presidirá a reunião, mas nenhuma decisão final será tomada.

O prefeito de Londres e o governo regional galês disseram que o isolamento deveria ser mantido.

Mais Recentes da CNN