Brasileiros ilhados no Marrocos por coronavírus serão repatriados pelo Itamaraty

As despesas aéreas serão bancadas pela Rede Record, que conta com 73 profissionais no país para a gravação de uma novela

Aviões das companhias aéreas Gol, Latam e Azul estacionados no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro (12.jan.2017)
Aviões das companhias aéreas Gol, Latam e Azul estacionados no aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro (12.jan.2017) Foto: Nacho Doce/Reuters

André Spigariol

Da CNN Brasil, em Brasília

Ouvir notícia
O Ministério das Relações Exteriores confirmou que 203 brasileiros que estão ilhados no Marrocos por conta da pandemia de COVID-19 serão repatriados amanhã.
 
Em ação coordenada pela chancelaria e pelo Ministério do Turismo, a companhia aérea Latam oferecerá voo de retorno para os turistas, que foram pegos de surpresa com o cancelamento de todos os voos internacionais pelo governo marroquino no último domingo (15).  
 
As despesas aéreas serão bancadas pela Rede Record, que conta com 73 profissionais ilhados no Marrocos. Eles participavam das gravações de uma novela.
 
Amanhã também devem partir os voos do Peru com direção ao Brasil, para repatriação de brasileiros que ficaram ilhados no país após o fechamento de fronteiras.
 
Na tarde de hoje, a chancelaria informou que 139 brasileiros que estavam embarcados em um navio de cruzeiro no território francês de Guadalupe puderam desembarcar e pegar um voo de volta para casa. Até domingo, o Itamaraty deve dar uma solução também para os 883 brasileiros que estão em Portugal.

Mais Recentes da CNN