Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    “Buraco para o Inferno”: o que a China espera obter ao cavar poço com mais de 10 mil metros de profundidade

    Objetivo da perfuração é a exploração científica, expandindo o conhecimento sobre áreas profundas do planeta ainda não estudadas

    Da CNN

    A China começou a perfurar o primeiro poço do país com mais de 10 mil metros de profundidade para exploração científica na última semana, na Bacia de Tarim, na Região Autônoma Uigur de Xinjiang, no noroeste do país.

    A operação representa um marco na exploração chinesa de terra profunda, proporcionando uma oportunidade sem precedentes para estudar áreas do planeta nas profundezas da superfície.

    Nas redes sociais, o projeto foi apelidado de “buraco para o inferno”.

    O planejamento prevê alcançar profundidade de 11.100 metros, com conclusão em 457 dias.

    Se o plano for cumprido, ele será o segundo poço em área continental no mundo a atingir uma profundidade vertical de mais de 10 mil metros, batendo também o recorde de perfuração mais rápida do mundo para um poço deste tamanho.

    A perfuração teve início na terça-feira (6), às 11h46, no horário local, no interior do deserto de Taklimakan, o maior da China. A Bacia de Tarim é uma das áreas mais difíceis de explorar devido ao solo áspero e condições subterrâneas complicadas.

    “Referindo-se às 13 dificuldades de engenharia na perfuração, como alta temperatura, alta pressão, espessura da camada de cascalho, espessura da camada de sal e danos no revestimento, coeficiente de pressão de água salgada e alto teor de enxofre, a Bacia de Tarim ocupa a primeira posição no mundo em termos dessas sete dificuldades de classe mundial”, disse Sun Jinsheng, acadêmico da Academia Chinesa de Engenharia, à CCTV.

    “A dificuldade de construção do projeto de perfuração pode ser comparada a um grande caminhão dirigindo em cima de dois cabos de aço finos”, adicionou Jinsheng.

    Brocas e tubos de perfuração pesando mais de 2 mil toneladas são utilizadas, devendo passar por mais de dez “camadas continentais”.

    “O sucesso do poço abrirá novas áreas de pesquisa para nós” e “nos fornecerá informações valiosas e difíceis de obter sobre a evolução da Terra”, disse Hao Fang, acadêmico da Academia Chinesa de Ciências à CCTV.

    Tecnologia de ponta e potencial para petróleo

    Está sendo utilizada no processo a primeira plataforma de perfuração AC VFD de 12 mil  para poços extraprofundos do mundo, desenvolvida de forma independente pela PetroChina, a maior empresa de petróleo e gás do país.

    Para Wang Chunsheng, especialista técnico envolvido na operação, essa é uma tentativa ousada de exploração para expandir os limites do conhecimento.

    E, mesmo com todas as dificuldades relacionadas à perfuração, a Bacia do Tarim possui amplas perspectivas para exploração adicional de petróleo e gás.

    Há ricos recursos geológicos de petróleo escondidos abaixo de 8 mil metros de profundidade. A estimativa é que a quantidade seja equivalente a 9 bilhões de toneladas de petróleo — mais da metade de todo o recurso ultraprofundo do país.

    (Publicado por Marina Toledo, com informações da Agência Xinhua e da CCTV, estatais de notícias da China)