Caixões, túmulos e templo funerário descobertos no Egito ‘reescreverão história’

Segundo imprensa egípcia, é primeira vez em que caixões de 3 mil anos são encontrados na região de Saqqara

Sarcófagos descobertos no Egito (Arquivo)
Sarcófagos descobertos no Egito (Arquivo) Foto: Divulgação/Ministério do Turismo e Antiguidades (10.set.2020)

Amy Woodyatt, da CNN

Ouvir notícia

Um esconderijo de túmulos antigos contendo centenas de caixões de madeira que datam da época do Novo Império está entre um conjunto de novas descobertas no sítio arqueológico de Saqqara, no Egito. O Novo Império é o período compreendido entre 1.550 a.C. e 1.069 a.C. 

Caixões, máscaras mortuárias e um templo funerário foram descobertos durante uma missão arqueológica em Saqqara, uma vasta necrópole a cerca de 32 quilômetros ao sul do Cairo, que especialistas afirmam que “irá reescrever” a história da região.

No sábado (16), especialistas anunciaram a descoberta do templo funerário da rainha Nearit, esposa do rei Teti, o primeiro faraó da sexta dinastia do Antigo Império, de acordo com o jornal egípcio “Al-Ahram”, citando o Ministério do Turismo e Antiguidades do país.

Três depósitos feitos de tijolos de barro, construídos para armazenar provisões, oferendas e ferramentas utilizadas na tumba da rainha, também foram descobertos anexos ao templo.

Também foram encontrados cerca de 52 poços funerários que tinham entre 10 a 12 metros de profundidade e continham centenas de caixões de madeira que datavam do período do Novo Império. A revelação marca a primeira vez que caixões de 3 mil anos foram encontrados na região de Saqqara, de acordo com o site do “Al-Ahram”.

Cenas de deuses adorados na época e trechos do Livro dos Mortos (cuja crença ajudaria os mortos a passar para o outro mundo), foram pintados na superfície dos caixões. Os especialistas afirmaram que esta última descoberta no sítio confirma que Saqqara foi usada como cemitério durante o período do Novo Império (entre os séculos 16 e 11 a.C.) e não apenas durante o Período Tardio.

Um conjunto de 50 caixões antropoides feitos de madeira e bem preservados também foi descoberto por arqueólogos, além de máscaras funerárias de madeira, um santuário dedicado ao deus Anúbis, artefatos em forma de pássaro e um machado de bronze.

“As últimas descobertas irão reescrever a história de Saqqara durante o Novo Império e afirmar a importância da adoração do Rei Teti durante a 19ª Dinastia do Novo Império”, disse Zahi Hawass, líder da missão arqueológica egípcia, conforme relatou o canal de notícias.

As novas descobertas “reescreverão a história desta região, especialmente durante as 18ª e 19ª dinastias do Novo Império, durante as quais o Rei Teti foi adorado, e os cidadãos daquela época foram enterrados ao redor de sua pirâmide”, acrescentou o comunicado.

(Texto traduzido, clique aqui para ler o original em inglês).

Mais Recentes da CNN