Câmara dos EUA aprova US $ 1 bilhão para financiamento de Domo de Ferro de Israel

Sistema de Defesa Aérea Domo de Fero foi projetado para interceptar foguetes no ar

Capitólio em Washington (EUA)
Capitólio em Washington (EUA) Joshua Roberts/Getty Images

Annie Grayerda CNN

Ouvir notícia

A Câmara dos Estados Unidos aprovou, nesta quinta-feira (23), um projeto de lei para fornecer financiamento para o Domo de Ferro de Israel, depois que ele foi removido de um projeto de lei para evitar uma paralisação do governo e suspender o limite de endividamento do país.

O US $ 1 bilhão em financiamento alocado para o sistema de defesa aérea havia sido inicialmente incluído na legislação obrigatória que a Câmara considerou no início da semana, mas a cláusula foi removida da versão final para apaziguar um grupo de progressistas que disseram que iriam rejeitar a legislação, a menos que esse financiamento fosse retirado.

O projeto agora vai para o Senado, mas ainda não tem data para ser votado.

O líder da maioria na Câmara, Steny Hoyer, criou um projeto de lei separado para ser apresentado na quinta-feira sob suspensão, o que significa que contornou as regras normais exigidas para aprovar o projeto e exigiu uma maioria de dois terços para ser aprovado.

A votação final foi de 420-9. Oito democratas e um republicano votaram contra o projeto.

Domo de Ferro

O Sistema de Defesa Aérea Domo de Fero foi projetado para interceptar foguetes no ar – mirando-os e disparando mísseis interceptores para destruí-los – antes que eles possam matar civis que vivem em Israel. Foi inicialmente desenvolvido pela empresa israelense de tecnologia de defesa Rafael, mas desde então o sistema foi fortemente patrocinado pelos Estados Unidos.

Em novembro de 2020, os Estados Unidos forneceram US $ 1,6 bilhão a Israel para baterias, interceptores, custos de coprodução e manutenção geral, de acordo com o Serviço de Pesquisa do Congresso.

A legislação especificamente fornecerá financiamento para substituir os interceptores de mísseis que foram usados ​​durante os combates intensos com o Hamas em maio.

De acordo com um comunicado à imprensa sobre a legislação, o financiamento é “consistente com o Memorando de Entendimento de 2016 entre os Estados Unidos e Israel, que obriga os Estados Unidos a fornecer assistência adicional para reabastecer a Cúpula de Ferro após períodos de luta para permitir que Israel continue a se defender do ataque.”

A deputada democrata Rashida Tlaib tuitou sua desaprovação do financiamento antes da votação: “Eu pretendo votar contra. Devemos parar de permitir os abusos dos direitos humanos de Israel e o governo do apartheid.”

Sistema antimísseis de Israel intercepta foguetes lançados da Faixa de Gaza 10/0

Sistema antimísseis de Israel intercepta foguetes lançados da Faixa de Gaza 10/05/2021 / Foto: Amir Cohen/ReutersA deputada democrata Ilhan Omar expressou sua desaprovação do financiamento tweetando na quinta-feira: “Dadas as violações dos direitos humanos em Gaza, Sheikh Jarrah, e a expansão cada vez maior dos assentamentos, não devemos forçar um aumento de US $ 1 bilhão em fundos militares de última hora para Israel sem qualquer responsabilidade. ” Omar e Tlaib são as duas primeiras mulheres muçulmanas a servir no Congresso, e Tlaib é a primeira mulher palestino-americana do Congresso a servir na Câmara.

Mas alguns democratas ficaram frustrados quando a cláusula foi retirada do projeto original.
“Estou incrédulo agora”, disse o deputado Dean Phillips, um democrata judeu de Minnesota, à CNN.
A deputada democrata Elissa Slotkin, que atua no Comitê de Serviços Armados, caracterizou a oposição de membros de seu próprio partido a este financiamento como “desprovida de substância e irresponsável”.

A presidente de verbas da Câmara, Rosa DeLauro, expressou seu apoio ao financiamento, dizendo em um comunicado: “O compromisso dos Estados Unidos com a segurança de nosso amigo e aliado Israel é férreo. Reabastecer os interceptores usados ​​para proteger Israel de ataques é nossa responsabilidade legal e moral.”

Quando Tlaib foi ao plenário para expressar sua oposição ao projeto, ela chamou o financiamento de “absurdo e injustificável” e se referiu a Israel como um “regime de apartheid”, o que ela disse não serem palavras dela, mas da Human Rights Watch.

“Acredito firmemente que nosso país deve se opor à venda de armas a qualquer pessoa, em qualquer lugar, sem o cumprimento das leis de direitos humanos”, disse Tlaib na quinta-feira.

O deputado democrata Ted Deutch da Flórida, que é judeu, declarou que: “Não posso permitir que um de meus colegas se posicione no plenário da Câmara dos Representantes e rotule o Estado Judeu Democrático de Israel como um Estado de apartheid. Eu o rejeito”, disse Deutch. “Se você acredita em salvar vidas, vidas israelenses e palestinas, eu digo ao meu colega que acabou de manchar nosso aliado, então você apoiará esta legislação”.

Dadas as margens estreitas entre os dois partidos na Câmara, os democratas só podem perder três votos se este projeto for reduzido a uma votação partidária. Mas, como muitos republicanos se opuseram à decisão dos democratas de retirar a cláusula do projeto da Câmara no início da semana, os democratas podem não precisar de apoio total dentro de seu partido para aprovar o projeto.

O líder da minoria na Câmara, Kevin McCarthy, disse na quarta-feira, “no mesmo dia em que o presidente Biden prometeu apoiar nossos aliados, os democratas da Câmara votaram pela negação de equipamentos puramente defensivos a Israel para proteger seus cidadãos de foguetes terroristas. Esta decisão foi política, não ‘técnica'”. Os democratas abandonaram nosso aliado para apaziguar os radicais pró-BDS, de extrema esquerda que dirigem seu partido.”

O ministro das Relações Exteriores de Israel, Yair Lapid, falou com Hoyer na noite de terça-feira, depois que o dinheiro para o sistema de defesa anti-mísseis Domo de Ferro de Israel foi retirado da conta de financiamento do governo dos EUA no último minuto.

Lapid disse em um comunicado que a conversa com Hoyer revelou que se tratava de um “adiamento técnico resultante do debate no Congresso sobre o teto do déficit no orçamento dos Estados Unidos”.

Antes de Hoyer anunciar que apresentaria um projeto de lei separado dedicado à aprovação deste financiamento, um porta-voz do Comitê de Apropriações disse à CNN que o financiamento para a Cúpula de Ferro seria incluído no projeto de defesa de 2022. Mas, após o anúncio de Hoyer, o porta-voz disse que se o financiamento de emergência para reabastecer os interceptores do Domo de Ferro for aprovado, o programa não precisaria de uma infusão adicional para esse propósito no final do ano.

(Texto traduzido, leia original em inglês aqui)

Mais Recentes da CNN