Canadá aumenta medidas de restrição para conter terceira onda de Covid-19

Premiê Justin Trudeau diz que muitas províncias registram recordes de casos, internações e mortes desde o início da pandemia; Ontário tem a situação mais grave

Com recordes de casos, internações e mortes, Canadá amplia restrições para conter 3ª onda de Covid-19
Com recordes de casos, internações e mortes, Canadá amplia restrições para conter 3ª onda de Covid-19 Foto: Creative Touch Imaging Ltd - 14.abr.2021/NurPhoto via Getty Images

Paula Newton, da CNN

Ouvir notícia

O Canadá enfrenta uma terceira onda de casos do novo coronavírus, com várias províncias registrando recordes de novos casos diários de Covid-19 e internações em hospitais e Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

“O Canadá continua enfrentando uma situação incrivelmente séria com esta terceira onda, os casos estão aumentando rapidamente, em muitos lugares, os números são os mais altos [desde o início da pandemia] e muitos hospitais estão sobrecarregados”, disse o primeiro-ministro Justin Trudeau em entrevista coletiva na sexta-feira (16), em Ottawa.

Ele disse que a situação é particularmente grave em Ontário, com Toronto batendo recordes – além de estar com seus leitos hospitalares quase esgotados. Na sexta-feira, a província registrou os números mais altos de casos diários, hospitalizações e internações em UTI desde o início da pandemia.

“Há razões para acreditar que agora estamos na fase final, embora mais difícil, desta pandemia. Este não é o momento de abrandar, nem por um segundo”, disse Trudeau. 

Nesta semana, o Canadá teve um aumento de 35% nas hospitalizações e de mais de 20% nas admissões em UTI, disseram autoridades de saúde pública. Outro dado preocupante foi o aumento de 38% nas mortes na semana anterior.

“Observe que nossos hospitais não podem mais funcionar normalmente”, disse Adalsteinn Brown, co-presidente de consultoria científica de Ontário. “Estamos montando hospitais de campanha e separando pacientes em estado crítico de suas famílias, transportando-os de helicóptero para tratamento. Nossos hospitais infantis agora estão admitindo adultos como pacientes. Isso nunca aconteceu em Ontário antes, nunca aconteceu antes no Canadá.”

Com base nas novas projeções de pandemia, espera-se que a demanda por cuidados intensivos aumente nas próximas semanas, não importa o tipo de restrições que sejam postas em prática, disse Brown.

Medidas de bloqueio estendidas em Ontário

Na sexta-feira (16), Ontário estendeu seu estado de emergência e ordem de permanência em casa até pelo menos 15 de maio.

A província disse que também restringirá as viagens interprovinciais e criará postos de controle para fazer cumprir essa ordem.

Todas as atividades recreativas ao ar livre, como campos de golfe, playgrounds, quadras de basquete e campos de futebol, foram proibidas. E até mesmo reunir-se ao ar livre com pessoas que não moram na mesma casa será proibido. Reuniões internas entre famílias estão proibidas desde o início do mês.

Todas as principais províncias do Canadá lutam para conter o efeito das variantes, especialmente nos bolsões de baixa renda das maiores cidades do Canadá.

A Health Canada afirma que a grande maioria dos casos é a variante B.1.1.7 detectada pela primeira vez no Reino Unido, mas as autoridades de saúde pública estão cada vez mais preocupadas com a disseminação de outras variantes, incluindo a variante P.1 detectada primeiro no Brasil, que está se espalhando na província de Colúmbia Britânica.

“O risco relativo dessas variantes em relação à versão mais antiga da Covid-19 é muito maior para admissão, maior para UTI e maior para mortalidade. E afeta populações mais jovens com muito menos carga de vírus, causando infecção muito rapidamente”, disse David Williams, diretor médico-chefe de saúde de Ontário.

Trudeau ecoou o cansaço de milhões de canadenses que já passaram por muitos meses de bloqueios e restrições, revelando que teve uma discussão com seu filho de 13 anos na manhã de sexta-feira, dizendo-lhe que medidas de saúde pública ainda eram necessárias.

“Xavier tem 13 anos e sente falta dos amigos, não quer estudar online, quer sair para jogar basquete com os amigos, quer ter uma vida normal que, francamente, todos nós queremos agora “, disse ele. “Mas a realidade é que sabemos que a melhor maneira de superar isso é cada um de nós seguir as regras locais de saúde pública.”

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN