Cantor norte-americano R. Kelly é condenado por extorsão e tráfico sexual

Ao todo, R.Kelly pode enfrentar décadas de prisão após sentença, que está marcada para o dia 4 de maio

R. Kelly appears during a hearing at the Leighton Criminal Courthouse in Chicago on September 17, 2019. (Antonio Perez/Chicago Tribune/Tribune News Service via Getty Images)
R. Kelly appears during a hearing at the Leighton Criminal Courthouse in Chicago on September 17, 2019. (Antonio Perez/Chicago Tribune/Tribune News Service via Getty Images) Antonio Perez/Chicago Tribune/Tribune News Service via Getty Images)

Sonia Mogheda CNN

Ouvir notícia

O cantor de R&B R. Kelly foi considerado culpado pelas acusações de extorsão e tráfico sexual, nesta segunda-feira (27), em um júri federal em Nova York.

Kelly enfrentou um total de nove acusações – uma acusação de extorsão, com 14 atos subjacentes que incluíam exploração sexual de uma criança, sequestro, suborno e tráfico sexual, e também oito adicionais acusações de violações da Lei Mann, uma lei de tráfico sexual.

O júri, composto por sete homens e cinco mulheres, começou a deliberar na tarde da última sexta-feira (24).  Ao todo, R.Kelly pode enfrentar décadas de prisão após sentença, que está marcada para o dia 4 de maio.

O veredito veio 13 anos depois de Kelly, cujo nome completo é Robert Sylvester Kelly, ter sido absolvido das acusações de pornografia infantil em um julgamento estadual de Illinois, nos Estados Unidos.

Um advogado de Kelly afirmou que eles estão considerando entrar com um recurso e estão decepcionados com o veredito.

“O veredito de culpado de hoje marca para sempre R. Kelly como um predador, que usou sua fama e fortuna para atacar os jovens, os vulneráveis ​​e os sem voz para sua própria satisfação sexual”, disse Jacquelyn Kasulis, procuradora interina do Distrito Leste de Nova York.

R. Kelly é “um predador que usou seu círculo íntimo para enredar meninas, rapazes e moças menores de idade por décadas em uma rede sórdida de abuso sexual, exploração e humilhação”, acrescentou Kasulis.

Ela disse que as vítimas foram corajosas por se apresentar e contar suas histórias. “Para as vítimas neste caso, suas vozes foram ouvidas e a justiça foi finalmente feita”, disse Kasulis.

Neste esboço de tribunal, R. Kelly, no centro, senta-se com seus advogados de defesa Thomas Farinella e Nicole Blank Becker / Elizabeth Williams/AP

Julgamento começou em 18 de agosto

Cinquenta testemunhas de acusação e defesa tomaram posição durante o julgamento de cinco semanas, incluindo vítimas que foram identificadas como “Jane” nas acusações de Kelly. Havia 45 testemunhas de acusação.

Jane era a cantora Aaliyah, que morreu em 2001.

Os jurados ouviram de várias testemunhas que estiveram presentes em seu casamento com Kelly em 31 de agosto de 1994, quando ele tinha 27 e ela 15 anos. Os promotores mostraram cópias do pedido de licença de casamento do casal, que listava a idade de Aaliyah como 18 na época do casamento.

O ex-empresário de Kelly, Demetrius Smith, testemunhou com relutância, e afirmou que subornou uma funcionária de um escritório de assistência social na área de Chicago para criar uma carteira de identidade para Aaliyah.

“Fiz uma oferta a ela (a assistente social) e ela aceitou o dinheiro”, testemunhou Smith. “Eu dei a ela 500 dólares”, disse.

Embora a identidade não listasse a data de nascimento de Aaliyah, um oficial de Illinois testemunhou em 15 de setembro que, geralmente, uma pessoa precisa ter pelo menos 18 anos para obter esse tipo específico de identidade.

Nathan Edmond, um ministro que casou os dois, falou publicamente pela primeira vez sobre o casamento, e disse que os conheceu no dia do casamento.

“Não achei que fosse alguém especial. Não entendi nada”, testemunhou Edmond.

Os jurados também ouviram de uma mulher que se identificou apenas como Stephanie, que disse que conheceu Kelly em um evento em Chicago em 1999 quando ela tinha 17 anos, e que ele acabou a convidando para seu estúdio.

“Lembro-me dele me perguntando a minha idade”, testemunhou Stephanie. “Quando eu disse que tinha 17 anos, ele disse que estava bem.”

Stephanie testemunhou que Kelly a abusou sexualmente quando ela tinha 17 anos e registrou que eles fizeram sexo. Ele pagou a viagem dela para a Flórida em seu aniversário de 18 anos e ela parou de falar com ele logo após a viagem. Ela descreveu o temor de suas explosões de raiva, dizendo que ele gritaria com ela em lugares públicos.

Uma ex-estagiária de rádio, que se identificou como Sonja, testemunhou em 9 de setembro que Kelly a convidou para viajar a Chicago para entrevistá-lo em seu estúdio em 2003, quando ela tinha 21 anos e que, assim que ela chegou, um funcionário a colocou em uma sala. Sonja rapidamente percebeu ser “trancada do lado de fora.” Ela disse que foi mantida no quarto por vários dias, ocasionalmente liberada para ir ao banheiro e tomar banho.

“A porta estava trancada. Eu queria sair”, testemunhou Sonja. Ela também disse que perdeu a consciência depois de comer sua primeira refeição em dias e viu Kelly ajeitando as calças quando ela acordou. Ela testemunhou que acreditava que ele a agrediu sexualmente quando ela estava inconsciente.

“Fui abusada sexualmente”, testemunhou Sonja. “Havia algo em mim que não era desejado.”

Problemas legais de Kelly não acabaram

Kelly ainda tem batalhas legais após este julgamento.No Distrito Norte de Illinois, ele enfrenta mais acusações federais, incluindo pornografia infantil e acusações de obstrução.

Ele também enfrenta acusações criminais em Minnesota, por duas acusações de envolvimento em prostituição com um menor, e acusações no estado de Illinois por abuso sexual criminal agravado.

Ele se declarou inocente de todas as acusações e nega qualquer irregularidade.

A acusação divulgada em julho de 2019 ,no Distrito Norte de Illinois, aponta Kelly de ter se filmado fazendo sexo com pelo menos quatro garotas menores de 18 anos no início de 1998. Alguns anos depois, Kelly soube que alguns desses vídeos estavam faltando na sua “coleção”, ele e outros começaram a pagar “centenas de milhares de dólares” a várias pessoas para recuperá-los, diz a acusação.

Também em 2019, um grande júri em Cook County, Illinois, indiciou Kelly por 10 acusações de abuso sexual criminal agravado envolvendo quatro supostas vítimas, três das quais foram listadas como menores de 17 anos.

Essa acusação foi seguida alguns meses depois por outra de um grande júri do Condado de Cook em 11 acusações que variam de agressão sexual criminal agravada e agressão sexual criminal a abuso sexual criminal agravado.

Em agosto de 2019, o Gabinete do Procurador do Condado de Hennepin em Minnesota anunciou que Kelly foi acusado de duas denúncias de prostituição com uma pessoa menor de 18 anos. De acordo com a queixa criminal, uma mulher disse que o incidente aconteceu em 2001, quando ela tinha 17 anos.

(Texto traduzido, leia original em inglês aqui)

Mais Recentes da CNN