Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Casal russo-ucraniano foge de Kiev por cinco dias para Hungria

    "Vai ser muito difícil agora, mas espero que dê certo e vou cruzar os dedos para que a Ucrânia se mantenha firme", desejou engenheiro

    Casal levou cinco dias para chegar na Hungria
    Casal levou cinco dias para chegar na Hungria Reuters/reprodução CNN

    Da Reuters

    Zahony, Hungria

    Ouvir notícia

    O engenheiro de software russo Mikhail Liublin e sua namorada ucraniana viajaram de trem e ônibus por cinco dias para chegar à Hungria após saírem de Kiev, ouvindo bombas explodindo no caminho e às vezes pensando que não conseguiriam.

    Enquanto esperavam na fila de passagens para pegar um trem para Budapeste a partir da fronteira de Zahony, o jovem casal se beijou alegremente.

    “Ao contrário de todas as outras pessoas aqui, sou da Rússia. Morei na Ucrânia por cerca de um ano”, disse Liublin.

    “É uma loucura. E a Rússia vai pagar por isso, por muitos, muitos anos, e Putin deve ser julgado”, acrescentou, referindo-se ao presidente russo, Vladimir Putin.

    Putin ordenou uma operação militar especial na quinta-feira (24) passada em uma tentativa de desarmar a Ucrânia, capturar os “neonazistas” que ele diz governarem o país e esmagar suas esperanças de laços mais estreitos com o Ocidente.

    Vários dias após a invasão que provocou enormes sanções internacionais, os militares russos tentavam cercar e controlar cidades ucranianas com bombardeios intensificados nesta quarta-feira (2).

    Liublin disse que ele e sua namorada -se recusando a dar o nome dela- acharam quase inacreditável que finalmente tivessem terminado a longa jornada para a Hungria, já que quase todos os dias havia bombardeios ou tiroteios.

    “Vai ser muito difícil agora, mas espero que dê certo e vou cruzar os dedos para que a Ucrânia se mantenha firme, e a bondade e a verdade vençam”, afirmou o jovem com um enorme sorriso.

    Pouco depois, o casal embarcou no trem para a capital húngara.

    Mais Recentes da CNN