Chefe dos Jogos Olímpicos de Tóquio renuncia e pede perdão por falas machistas

A cinco meses do início previsto, os Jogos Olímpicos ficam agora temporariamente sem um presidente do comitê organizador

Yoshiro Mori
Yoshiro Mori Foto: NHK/ Reprodução

Da Reuters

Ouvir notícia

 

O chefe dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, Yoshiro Mori, renunciou nestta sexta-feira (12) e mais uma vez se desculpou por seus comentários machistas que geraram protestos globais. A cinco meses do início previsto, os Jogos Olímpicos ficam agora temporariamente sem um presidente do comitê organizador.

“Meus comentários inadequados causaram um grande problema. Sinto muito”, disse Mori, 83, em uma reunião do comitê organizador olímpico.

Mori declarou que o mais importante agora é que as Olimpíadas de Tóquio sejam um sucesso.

 

Sua renúncia apenas alguns meses antes do início dos Jogos de Verão adiados irá corroer ainda mais a confiança na capacidade dos organizadores de realizar o evento durante uma pandemia de coronavírus.

Mori, ex-primeiro-ministro japonês, causou furor ao dizer durante uma reunião do comitê olímpico no início deste mês que as mulheres “falam demais”.

O ex-premiê disse em uma reunião do conselho diretor das Olimpíadas que “as reuniões do conselho com muitas mulheres demoram mais” porque “as mulheres são competitivas – se um membro levanta a mão para falar, outros podem pensar que eles também precisam falar”, de acordo com reportagens na imprensa japonesa.

“Se você quiser aumentar o número de mulheres, terá problemas a menos que estabeleça limites de tempo”, ele teria acrescentado.

Falando em uma entrevista coletiva no dia seguinte, Mori confirmou que fez os comentários a portas fechadas e disse que lamentava por isso.

Mais Recentes da CNN