Chile adia eleições por cinco semanas após aumento nos casos de Covid-19

O presidente do país, Sebastian Piñera, adiou a eleição dos membros da Assembleia Constituinte de 10 a 11 de abril para 15 a 16 de maio

Presidente do Chile, Sebastián Piñera, confirmou recebimento de doses da vacina da Pfizer nesta semana
Presidente do Chile, Sebastián Piñera, confirmou recebimento de doses da vacina da Pfizer nesta semana Foto: Rodrigo Garrido - 8.nov.2020/Reuters

Cristopher Ulloa e Tatiana Arias, CNN

Ouvir notícia

O Chile adiou as eleições locais, regionais e para a Assembleia Constitucional por cinco semanas devido ao recente aumento de casos da Covid-19, anunciou o presidente do país, Sebastian Piñera, nesta terça-feira (6).

Uma lei promulgada nesta terça por Piñera adiou a eleição dos membros da Assembleia Constituinte responsáveis pela redação da nova Constituição do país de 10 a 11 de abril a 15 a 16 de maio.

“Dada a dura reemergência e o aparecimento de novas variantes [Covid-19] em todo o mundo, e tomando a opinião unânime da comunidade médica e da maioria do público, não parecia prudente ou conveniente realizar eleições no próximo fim de semana”, disse Pinera durante uma coletiva de imprensa.

As eleições para governadores e prefeitos também foram adiadas de acordo com a mesma lei.

Até esta terça, o Chile relatou um total de 1.037.780 casos de Covid-19 e 23.734 mortes relacionadas. A taxa de ocupação da UTI no país é atualmente de 96%.

(Este texto é uma tradução. Para ler o original, em inglês, clique aqui.)

Tópicos

Mais Recentes da CNN