China aprova o uso de pílula da Pfizer contra a Covid-19

Regulador de produtos médicos do país disse, neste sábado (12), que concedeu aprovação condicional para Paxlovid

Comprimidos ao lado do logo da Pfizer em foto de ilustração.
Comprimidos ao lado do logo da Pfizer em foto de ilustração. 29/09/2021 REUTERS/Dado Ruvic

Roxanne LiuJohn Horwitzda Reuters

em Pequim

Ouvir notícia

O regulador de produtos médicos da China disse, neste sábado (12), que concedeu aprovação condicional para o medicamento da Pfizer contra a Covid-19, Paxlovid, tornando-o a primeira pílula oral desenvolvida especificamente para tratar a doença a ser autorizada no país.

A Administração Nacional de Produtos Médicos disse que o Paxlovid é aprovado para tratar adultos com Covid-19 leve a moderada, e que tenham alto risco de progredir para uma condição grave.

Um estudo mais aprofundado sobre a medicação precisa ser realizado e submetido à autoridade, disse o órgão.

Não está imediatamente claro se a China já está conversando com a Pfizer para comprar a pílula.

“Este é um marco importante em nossa luta contra a Covid-19”, disse um representante da Pfizer em comunicado, sem fornecer informações sobre compras.

A aprovação é um impulso para a Pfizer, que espera US$ 22 bilhões em vendas desse tratamento em 2022.

Os executivos da Pfizer disseram que a empresa está em discussões ativas com mais de 100 países sobre o Paxlovid e tem capacidade para fornecer 120 milhões de tratamentos, se necessário.

Embora várias vacinas estejam disponíveis em todo o mundo para ajudar a prevenir infecções e doenças graves, incluindo uma fabricada pela Pfizer, há opções limitadas de tratamento para pessoas já infectadas com Covid-19.

Em dezembro, a Pfizer disse que os resultados finais do estudo mostraram que seu tratamento reduziu a chance de hospitalização ou morte em 89% em pacientes com Covid-19 em risco de doença grave, dado o tratamento dentro de três dias após o início dos sintomas, e em 88% quando administrado em cinco dias

Os Estados Unidos estão pagando cerca de US$ 530 para cada kit com as pílulas necessárias para um tratamento de Paxlovid e US$ 700 por cada curso de molnupiravir, uma pílula rival desenvolvida pela MSD.

A China ainda não aprovou nenhuma vacina contra Covid-19 desenvolvida por fabricantes estrangeiros, mas vacinou 87,1% de toda a sua população até 7 de fevereiro usando várias vacinas desenvolvidas nacionalmente.

Mais Recentes da CNN