China reprime popularização de voyerismo ilegal causado pela invasão de webcams

Autoridades prenderam 59 pessoas e apreenderam 25.000 webcams controladas ilegalmente; prática consiste no controle e na venda ilegal de imagens

Foto: Webcam/Getty Images

Da Reuters

Ouvir notícia

O órgão de vigilância da Internet da China disse nesta segunda-feira (9) que as autoridades prenderam 59 pessoas e apreenderam 25.000 webcams controladas ilegalmente em uma repressão ao “voyeurismo” ilegal de webcams – uma prática em que alguém controla a webcam de outra pessoa à distância e sem o conhecimento desta.

A Administração do Ciberespaço da China (CAC) disse em um comunicado que ela e outros órgãos do governo, incluindo o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação, Ministério da Segurança Pública e Administração Estatal de Regulamentação do Mercado, têm intensificado os esforços para reprimir o comportamento “voyeurístico”, incluindo a comercialização de vídeos e imagens privadas das pessoas que têm as webcams invadidas.

Plataformas de conteúdo online, incluindo Baidu, Tencent e Alibaba’s UC Browser, “limparam” mais de 8.000 informações e conteúdo ilegais de voyeurs e puniram 134 contas ilegais, disse o CAC.

Plataformas de comércio eletrônico como JD.com, Taobao do Alibaba e Xianyu colocaram em modo offline um total de 1.600 câmeras que foram anunciadas ou vendidas ilegalmente, de acordo com o CAC.

(Reportagem de Yingzhi Yang, Brenda Goh, edição de Angus MacSwan)

Tópicos

Mais Recentes da CNN