Cientista pioneira na luta contra o HIV na África do Sul morre por coronavírus

A pesquisadora Gita Ramjee era uma das principais na linha frente da doença África do Sul

A pesquisadora Gita Ramjee era uma das principais na linha frente da doença África do Sul
A pesquisadora Gita Ramjee era uma das principais na linha frente da doença África do Sul Foto: Divulgação

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Na linha de frente da pesquisa sobre prevenção ao HIV, a cientista sul-africana Gita Ramjee morreu, na terça-feira (31), por conta de complicações do coronavírus. Ela estava no grupo de risco por ter diagnóstico de tuberculose e chegou a ficar internada em um hospital na cidade de Durban, mas não resistiu.

A pesquisadora era renomada na pesquisa sobre o vírus causador da Aids, na África do Sul e trabalhava como cientista especialista chefe e diretora da Unidade de Pesquisa de Prevenção de HIV no South African Medical Research Council (SAMRC), uma organização para pesquisa médica estatal.

Em nota, o vice-presidente da África do Sul, David Mabuza, disse que a morte da cientista é um “grande golpe para todo o setor de saúde e a luta global contra o HIV e a Aids”. 

“Nela, realmente perdemos um campeão na luta contra a epidemia do HIV, ironicamente nas mãos dessa pandemia global”, afirmou. “Em sua homenagem, devemos prestar atenção ao chamado para achatar a curva, fortalecendo nossas respostas a esta pandemia global, bem como continuar a luta para alcançar zero novas infecções pelo HIV”, completou.

Dados da Universidade Johns Hopkins apontam que há 1,3 mil casos confirmados e cinco mortes registradas pela COVID-19 no país.

Mais Recentes da CNN