Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Colômbia suspende ordens de prisão contra dissidentes das Farc antes de negociações

    Conversas para paz são promessa eleitoral do presidente Gustavo Petro

    Combatentes das Farc patrulham montanhas na região central da Colômbia
    Combatentes das Farc patrulham montanhas na região central da Colômbia 16/08/2016REUTERS/John Vizcaino

    Stefano Pozzebonda CNN

    O Ministério Público da Colômbia suspendeu os mandados de prisão contra os principais integrantes de um dos maiores grupos dissidentes das Farc ainda ativos no país, enquanto o governo do presidente Gustavo Petro se prepara para negociações de paz com grupos criminosos, anunciou o órgão nesta segunda-feira (13).

    O plano do governo de “paz total” prevê que grupos criminosos negociem com o Estado colombiano em troca de vários benefícios legais, incluindo a anistia para certos crimes, a suspensão parcial de alguns mandados de prisão e a redução de penas.

    A iniciativa do governo visa vários dos principais grupos criminosos do país, incluindo cartéis de drogas, grupos paramilitares de extrema-direita e guerrilheiros de esquerda.

    O anúncio desta segunda-feira inclui 19 altos comandantes do Estado-Maior Central das extintas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), incluindo membros que violaram o acordo de paz de 2016 assinado entre o Estado colombiano e as Farc em Havana.

    As Farc, que já foram a maior guerrilha do Hemisfério Ocidental, se desmobilizaram formalmente após o acordo de 2016. O grupo fundou um partido político em 2017.

    No entanto, vários altos escalões rejeitaram a vida civil e voltaram à luta armada nos últimos seis anos.

    Abrir negociações com grupos criminosos foi uma das promessas mais ousadas de Petro como candidato presidencial de 2022.

    Desde que o presidente assumiu o cargo, o governo iniciou negociações formais com o Exército de Libertação Nacional (ELN), outro grupo guerrilheiro de esquerda, e estuda conceder status político ao Clã del Golfo, o maior cartel de drogas da Colômbia.

    “Começa um segundo processo de paz. Será estabelecida uma mesa entre o governo e o Estado-Maior Central (Farc)”, publicou Petro no Twitter nesta segunda-feira logo após o anúncio do procurador-geral.

    Membros do Estado-Maior Central das Farc não comentaram imediatamente ao anúncio.

    Este conteúdo foi criado originalmente em espanhol.

    versão original