Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Morte de homem após ação policial desencadeia protestos na Colômbia

    Javier Humberto Ordóñez recebeu descarga de arma de choque e morreu após seguir para delegacia. Segundo polícia, ele descumpria isolamento social

    Protestos tomaram Colômbia após morte de Javier Humberto Ordóñez
    Protestos tomaram Colômbia após morte de Javier Humberto Ordóñez Foto: Casa Fracta Cali/ Instagram/ Reprodução

    Luis Jaime Acosta e Luisa Fernanda Gonzalez, da Reuters

    Javier Humberto Ordóñez, de 46 anos, foi morto na Colômbia após operação policial na qual recebeu descargas de uma arma de choque. A notícia desencaderou protestos no país entre quarta e esta quinta-feira (10).

    Em seu Twitter, a prefeita de Bogotá, Claudia López, chamou a morte de Ordóñez de exemplo de “brutalidade policial inaceitável”.

    O incidente ocorreu na manhã de quarta-feira em Bogoatá, quando, segundo a polícia, Javier Humberto Ordóñez, bebia álcool na rua com outras pessoas, em violação às regras de distanciamento social destinadas a conter a disseminação do novo coronavírus.

    Leia também:
    Líder religioso que culpou homossexuais por Covid-19 é diagnosticado com o vírus

    Em um vídeo amplamente compartilhado, Ordóñez é imobilizado no chão por dois policiais e submetido a choques elétricos sucessivos enquanto implora: “por favor, não mais”.

    O homem foi posteriormente levado para uma delegacia de polícia onde seus amigos e familiares alegam que ele foi sujeito a mais abusos. Ele morreu mais tarde em um hospital.

    Centenas de manifestantes se reuniram em frente à delegacia onde Ordóñez estava detido, segundo uma testemunha da Reuters, alguns usando latas de lixo, pedras e paus para bater nas janelas. A delegacia e um veículo da polícia foram grafitados e uma motocicleta queimada.

    Ao menos duas delegacias de polícia foram incendiadas e três outras foram atacadas em diferentes áreas de Bogotá, disse a polícia nacional, junto com protestos violentos em outras cidades, incluindo Medellín, Ibagué e Pereira.

    “Vamos oferecer assistência jurídica à família de Javier para que haja uma condenação não apenas dos responsáveis ??diretos, mas também para ver uma reforma estrutural que previna e pune a brutalidade policial”, disse López, a prefeita, no Twitter.

    Os policiais envolvidos foram dispensados ??de suas funções durante as investigações, informaram as autoridades.

    “Não pode haver tolerância para o abuso de uniforme ou de autoridade”, disse o presidente Iván Duque durante um evento, acrescentando que penalidades “objetivas” devem ser aplicadas.

    Tópicos

    Tópicos