Com fim do lockdown, Xangai revive após dois meses de bloqueio por Covid-19

Muitos dos 25 milhões de moradores finalmente puderam experimentar o mundo ao ar livre novamente na maior cidade da China

Homem usando máscara de proteção anda de bicicleta em Xangai, na China
Homem usando máscara de proteção anda de bicicleta em Xangai, na China Aly Song/Reuters

Reuters

Ouvir notícia

Xangai voltou à vida nesta quarta-feira (1) após dois meses de isolamento sob um implacável bloqueio contra a Covid-19, com lojas reabrindo e pessoas voltando a escritórios, parques e mercados, na esperança de nunca mais passar por uma provação semelhante.

Para muitos dos 25 milhões de moradores que finalmente puderam experimentar o mundo ao ar livre novamente na maior e mais cosmopolita cidade da China, a vida nas ruas parecia um flashback de uma memória distante.

Os carros estavam de volta às estradas, enquanto passageiros subiam em trens e ônibus novamente.

Corredores, patinadores e passeadores de cães desafiaram o calor abafado para passear pelos parques à beira do rio.

Havia a alegria de se reunir com pessoas próximas, o alívio de poder comprar qualquer coisa, mas também a cautela de outro surto em potencial, pois as pessoas lambiam suas feridas após um período prolongado de frustração, estresse e perda econômica.

Uma moradora de Xangai de sobrenome Dong, que estava bebendo cerveja com um amigo no antigo bairro da Concessão Francesa da cidade, não estava em clima de comemoração.

“Não é como a felicidade que você sente quando dá as boas-vindas ao Ano Novo. É muito complicado. Os últimos dois meses não foram fáceis para ninguém”, disse ela. “Estou feliz porque posso ver meu amigo, mas quando estava sozinho eu queria muito chorar.”

O bloqueio de Xangai foi o resultado da estratégia “Covid Zero” da China de erradicar surtos a qualquer custo, já que o país foi contra o consenso global de que a coexistência com o vírus era inevitável.

Era visível o medo de que a Covid-19 – e com ela, restrições estritas à vida social – pudesse retornar. Policiais e funcionários em mesas voltadas para o público estavam vestindo trajes de proteção completos. Muitos passageiros usavam luvas e protetores faciais. Todos usavam máscaras.

Também havia longas filas nos locais de teste de PCR, com os moradores precisando de resultados negativos recentes para pegar transporte público e entrar em vários prédios, e muitos fizeram fila nos centros de vacinação.

Cafés como o Starbucks e SBUX.O reabriram, mas os restaurantes continuam amplamente proibidos, as lojas podem operar com apenas 75% da capacidade e as academias reabrirão mais tarde.

Enquanto as pessoas voltavam aos shoppings, elas se restringiam principalmente a pequenos prazeres, evitando gastos chamativos.

“Este é um momento para desfrutar de estar ao ar livre, mas também para se proteger e proteger seu dinheiro”, disse o professor Yang Zengdong. “Este não é o momento para gastar e desperdiçar. Não tenho medo de pegar o vírus, mas tenho medo de um resultado positivo e uma quarentena centralizada.”, disse.

Mais Recentes da CNN