Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Condição médica de idosas reféns libertadas pelo Hamas é boa, diz hospital

    Nurit, de 79 anos, e Yocheved, de 85, foram sequestradas de suas casas em Israel no início dos ataques, em 7 de outubro; seus cônjuges ainda estão sob custódia do grupo radical islâmico

    Reféns israelenses libertadas pelo Hamas, Nurit Cooper, 79, e Yocheved Lifshitz, 85, nesta segunda-feira (23)
    Reféns israelenses libertadas pelo Hamas, Nurit Cooper, 79, e Yocheved Lifshitz, 85, nesta segunda-feira (23) CNN/Reprodução

    Amir Talda CNN

    Jerusalém

    As duas mulheres que foram libertadas da custódia do Hamas pareciam estar em condições médicas “ok” quando chegaram ao hospital Ichilov de Tel Aviv, disse um funcionário do hospital na manhã desta terça-feira (24).

    “Eles parecem bem. A condição médica deles é boa. Elas estão conversando”, disse a enfermeira-chefe do hospital, Eti Uziel, em vídeo divulgado pelo hospital logo após a chegada das duas mulheres.

    As idosas – as cidadãs israelenses Nurit Cooper, de 79 anos, e Yocheved Lifshitz, de 85 – tiveram um reencontro “emocionante” com seus familiares no hospital e estão sendo monitoradas durante a noite, disse Uriel.

    Veja também: Hamas diz ter libertado mais duas reféns de Gaza

    “No início, imediatamente as levamos para seus familiares. Foi um encontro muito, muito emocionante. Neste momento vamos deixá-los descansar um pouco com a família. Depois disso, realizaremos um exame completo. Eles ficarão conosco esta noite e amanhã. Neste momento para elas e para os familiares é uma situação muito, muito emocionante e estamos felizes por elas estarem aqui conosco.”

    As mulheres foram sequestradas de suas casas no Kibutz Nir Oz em 7 de outubro, informou um comunicado do gabinete do primeiro-ministro de Israel.

    Seus cônjuges – Amiram, marido de Cooper, de 85 anos, e Oded, marido de Lifshitz, de 83  – foram sequestrados junto com elas e ainda estão detidos pelo Hamas, acrescentou.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original