Departamento de Tesouro dos EUA inclui PCC em lista de sanções

Medida foi comunicada às autoridades brasileiras do Itamaraty, Polícia Federal, Palácio do Planalto, Ministério da Justiça e Segurança Pública e Coaf

Governo dos Estados Unidos entende que o PCC e outras organizações representam risco significativo para o tráfico internacional de drogas
Governo dos Estados Unidos entende que o PCC e outras organizações representam risco significativo para o tráfico internacional de drogas (14 mai. 2006) ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDO

Mathias Broteroda CNN

em Brasília

Ouvir notícia

O governo dos Estados Unidos incluiu, nesta quarta-feira (15), o Primeiro Comando da Capital (PCC) em uma lista de bloqueios da Agência de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC, na sigla em inglês). A instituição integra o Departamento de Tesouro dos EUA.

A inclusão tem como objetivo ampliar a capacidade de sanções do Departamento do Tesouro e faz parte de uma ordem executiva assinada pelo presidente Joe Biden.

No total, 25 nomes –10 pessoas e 15 companhias ou organizações– de quatro países foram incluídas na lista. O governo dos EUA entende que os nomes representam risco significativo para o tráfico internacional de drogas.

Determinação no site da Agência de Controle de Ativos Estrangeiros dos Estados Unidos /Reprodução

A medida foi comunicada, na manhã dessa terça-feira, a autoridades brasileiras do Itamaraty, Polícia Federal, Palácio do Planalto, Ministério da Justiça e Segurança Pública e COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

Essa é a primeira vez que um grupo criminoso brasileiro é colocado na relação. Na prática, a ação representa um passo preliminar para que seja possível incluir integrantes específicos do PCC na lista.

De acordo com a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, o objetivo da medida é “desmantelar e limitar as atividades de narcotráfico e lavagem de dinheiro do PCC, as ações afetam os dois países”.

Nos caso de instituições financeiras dos Estados Unidos, a inclusão de uma pessoa ou organização na lista significa que esses indivíduos não podem mais ter acesso a contas em bancos norte-americanos. Além disso, as instituições financeiras que controlarem contas dos indivíduos ou organizações deverão avisar o Departamento do Tesouro.

Já em relação a outros países, os bancos estrangeiros serão avisados sobre a preocupação do governo norte-americano. Caso as instituições financeiras estrangeiras tenham braços nos Estados Unidos, esses bancos poderão ser multadas e eventualmente ter as licenças revogadas. Além disso, poderão passar a ser supervisionadas por autoridades do governo dos EUA.

Mais Recentes da CNN