Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Trump começa ‘turnê de vingança’ com comício em Ohio neste sábado (26)

    Ex-presidente dos EUA participa de evento em Ohio para fortalecer aliados e atacar desafetos políticos que disputarão eleição de meio de mandato, em 2022

    Trump durante comício em Ohio, antes da eleição presidencial de 2020; republicano volta ao estado neste sábado em 1º ato desde que deixou a Casa Branca
    Trump durante comício em Ohio, antes da eleição presidencial de 2020; republicano volta ao estado neste sábado em 1º ato desde que deixou a Casa Branca Foto: J.D. Pooley - 24.out.2020/Getty Images

    Reuters

    Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos, fará um comício neste sábado (26) em Ohio, o primeiro desde o ataque de seus apoiadores ao Capitólio, em janeiro. O objetivo do evento é fortalecer seus aliados, repreender seus inimigos e consolidar sua influência sobre o Partido Republicano.

    Embora Trump tenha feito discursos em eventos republicanos desde sua derrota eleitoral para o presidente democrata, Joe Biden, um comício em um estado que ele conquistou nas eleições de 2020 marca um retorno ao tipo de reuniões em massa que têm sido críticas para ele manter o apoio de sua base.

    Também marca o início de seus eventos públicos atacando republicanos eleitos que ele vê como traidores. Ele fará campanha para o ex-assessor da Casa Branca Max Miller, que lançou uma candidatura para concorrer com o deputado Anthony Gonzalez, um dos 10 republicanos da Câmara que votou pelo impeachment de Trump sob a acusação de incitar o ataque de 6 de janeiro ao Capitólio.

    Trump prometeu fazer campanha contra todos os 10. Ele também endossou um adversário da senadora Lisa Murkowski, a única dos sete republicanos do Senado que votou para condená-lo em seu julgamento de impeachment, e que buscará a reeleição em 2022.

    A maioria dos democratas em ambas as câmaras do Congresso estará em jogo nas eleições de meio de mandato de 2022 e a história favorece as chances dos republicanos de ganhar assentos nessas disputas.

    O evento em Ohio, em um recinto de feiras em Wellington, cerca de 60 km a sudoeste de Cleveland, será a primeira de três aparições públicas de Trump, seguido por uma viagem à fronteira EUA-México com o governador do Texas, Greg Abbott, em 30 de junho e um comício em Sarasota, Flórida, em 3 de julho.

    David Arredondo, presidente do Partido Republicano no condado de Lorain, onde Wellington está localizado, deseja que o foco seja em 2022, em vez de se Trump concorrerá novamente à presidência em 2024.

    “Não há dúvida de que a prioridade é eleger os republicanos em 2022”, disse Arredondo. “Este é o começo.”

    Em uma declaração recente, o comitê Save America – que é ligado a Trump – disse que o comício em Ohio seria o primeiro de uma série de eventos “em apoio a candidatos e causas que promovem a agenda e realizações do MAGA”, referência ao slogan do antigo governo: “Make America Great Again” (em português, “faça a América grande de novo”).

    Espera-se que Trump critique Biden por sua maneira de lidar com a imigração, a economia e outras questões políticas importantes, enquanto também repete as falsas alegações de que perdeu a eleição devido à fraude generalizada. 

    Essas afirmações foram rejeitadas por vários tribunais, funcionários eleitorais estaduais e membros da própria administração de Trump.

    Ex-presidente dos EUA Donald Trump durante conferência em Orlando
    Ex-presidente dos EUA Donald Trump durante conferência em Orlando
    Foto: Joe Skipper/Reuters (28.fev.2021)

    ‘Perderemos nosso país’

    Trump manteve sua rivalidade com outros republicanos de alto escalão. Ele atacou o ex-vice-presidente Mike Pence, que falsamente alega que poderia ter impedido o Congresso de certificar a vitória de Biden, bem como o líder da minoria no Senado, Mitch McConnell, por chamar Trump de “praticamente e moralmente responsável” pela violência no Capitólio

    Pence defendeu suas ações em um discurso na quinta-feira (25) na biblioteca Ronald Reagan.

    “Há mais coisas em jogo do que nosso partido e nossa sorte política neste momento”, disse Pence. “Se perdermos a fé na Constituição, não perderemos apenas as eleições – perderemos nosso país.”

    As repetidas falsas alegações de Trump sobre fraude eleitoral tomaram conta dos eleitores republicanos. Cerca de 53% dos republicanos acreditam que Trump venceu as eleições de 2020 e atribuem sua derrota ao voto ilegal, e um quarto do público em geral concorda que Trump venceu, revelou uma pesquisa Reuters/Ipsos.

    Alguns participantes do comício começaram a fazer fila dias antes do evento deste sábado, que será realizado no Lorain County Fairgrounds a partir das 20h (horário de Brasília). Agentes do Serviço Secreto também estiveram na cidade em um esforço para garantir a segurança.

    O prefeito de Wellington, Hans Schneider, disse que os organizadores disseram que espera entre 10.000 e 20.000 pessoas no comício e que dezenas de policiais serão trazidos de áreas vizinhas para ajudar.

    Vários republicanos que desejam substituir o senador Rob Portman, de Ohio, que não buscará a reeleição em 2022, tentarão aproveitar o evento para ganhar exposição.

    Trump ainda não endossou um candidato à cadeira no Senado e não deve fazê-lo neste sábado. Cinco candidatos se declararam formalmente para a disputa, incluindo o empresário Bernie Moreno, a presidente do Partido Republicano de Ohio, Jane Timken, e o ex-tesoureiro estadual Josh Mandel.

    O estrategista republicano Matt Dole disse que tanto Trump quanto aqueles que competem para ficar perto dele se beneficiaram desses eventos públicos. Alguns dos candidatos que agora buscam seu endosso fizeram comentários depreciativos sobre Trump no passado.

    “Esses são casamentos de conveniência”, disse Dole, que mora em Ohio. “Donald Trump está usando essas oportunidades para manter seu nome em evidência, para manter a base motivada.”