Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Devemos combater Hamas, mas procurar autoridades palestinas interessadas no diálogo, diz ex-primeiro ministro de Israel

    Ehud Olmert indicou ainda que as respostas ao ataque precisam ser calculadas, de forma que atinjam o Hamas, mas evitem penalizar civis

    Da CNN*

    Ex-primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert (2006-2009) indicou em entrevista à CNN neste sábado (7) que é necessário combater o Hamas, mas também procurar autoridades palestinas interessadas no diálogo.

    “Temos de lutar contra o Hamas, mas conversar com as autoridades palestinas, falar com os que são capazes e estão interessados em falar conosco. Isso foi um erro trágico [não dialogar anteriormente], temos que falar com eles”, disse.

    Questionado sobre se daria algum “conselho” ao atual primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, Olmert disse que não o faria — pelo menos não na TV. Ele indicou, porém, que as respostas ao ataque precisam ser calculadas, de forma que atinjam o Hamas, mas evitem penalizar civis.

    Eu não daria nenhum conselho ao primeiro-ministro. Ao menos não ao vivo. Mas o que precisamos pensar é que as ações precisam ser calculadas, de forma que atinjam os terroristas e evite ao máximo ferir atores não envolvidos, no caso, civis.

    Ainda durante a entrevista, o ex-primeiro-ministro indicou que o ataque é “algo terrível”, que deve gerar “consequências muito sérias”.

    Olmert era o primeiro-ministro de Israel durante ataque do Hezbollah, grupo radical libanês, em 2006.

    O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que o país está “em guerra” após o ataque surpresa do Hamas , que deixou ao menos 100 mortos e centenas de feridos.

    “Cidadãos de Israel, estamos em guerra – não numa operação, não em rondas – em guerra”, disse Netanyahu numa mensagem de vídeo.

    Veja também: Brasil convocará reunião emergencial sobre ataques em Israel

    *Publicado por Danilo Moliterno.