Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Drone do Irã atingiu navio-tanque químico no oceano Índico, diz Pentágono

    Havia cerca de 21 membros da tripulação do navio, que tinha a bandeira da Libéria, no momento do ataque

    O Pentágono é visto do ar em 3 de março de 2022.
    O Pentágono é visto do ar em 3 de março de 2022. Reuters

    Ross LevittPhilip WangOren LiebermannNatasha Bertrandda CNN

    Um navio-tanque químico operando no Oceano Índico foi atingido por um drone de ataque iraniano no sábado (23), informou um oficial do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, sendo o sétimo ataque iraniano a navios comerciais desde 2021.

    “O navio motor Chem Pluto, de bandeira liberiana, de propriedade japonesa e operado pela Holanda, foi atingido por volta das 10h, horário local, no Oceano Índico, a 200 milhas náuticas da costa da Índia, por um drone de ataque de única direção disparado pelo Irã”, disse o oficial em um comunicado.

    Um drone de ataque de única direção é projetado para impactar seu alvo em vez de retornar à sua origem. “Não houve vítimas e um incêndio a bordo do navio foi extinto”, disse o oficial de defesa.

    “Nenhuma embarcação da Marinha dos EUA estava nas proximidades”, disse o comunicado, acrescentando que o Comando Central Naval estava se comunicando com o navio atingido.

    A guarda costeira da Índia disse que havia 21 membros da tripulação no momento do ataque. No entanto, acrescentou que não foram relatadas vítimas.

    A guarda costeira disse que enviou um navio de patrulha e uma aeronave de vigilância marítima após estabelecer comunicação com o navio.

    Após a avaliação de danos e reparos em seus sistemas de geração de energia, o MV Chem Pluto começou a se dirigir para Mumbai, escoltado pelo navio de patrulha, informou a guarda costeira.

    O navio partiu da Arábia Saudita em 19 de dezembro e tinha previsão de chegada à cidade portuária de Mangalore, no sudoeste da Índia, em 25 de dezembro.

    O ataque no Oceano Índico ocorre enquanto os rebeldes houthis apoiados pelo Irã no Iêmen lançaram mais de 100 ataques contra cerca de uma dúzia de navios comerciais e mercantes que transitam pelo Mar Vermelho nas últimas quatro semanas, como relatado anteriormente pela CNN.

    O Comando Central dos EUA relatou mais incidentes semelhantes em um comunicado nas redes sociais no sábado. Um navio petroleiro foi atingido por “um drone de ataque de única direção” no sábado. Não houve feridos, disse o Comando Central. Um navio-tanque químico separado operando no sul do Mar Vermelho relatou um “quase acidente” no sábado com um drone de única direção, disse o comando.

    Além disso, dois “mísseis balísticos antinavio” foram disparados para o sul do Mar Vermelho de áreas controladas pelos houthis no Iêmen, mas não atingiram nenhuma embarcação, disse o comunicado.

    Embora haja ataques recorrentes originários do Iêmen, o ataque de sábado no Oceano Índico envolvendo um drone que os EUA afirmam ter originado do Irã pode marcar uma nova escalada nas tensões.

    Os EUA divulgaram na sexta-feira informações recém-desclassificadas que sugerem que o Irã esteve “profundamente envolvido no planejamento das operações contra navios comerciais no Mar Vermelho”, disse Adrienne Watson, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, à CNN.

    As novas informações desclassificadas sugerem que “o apoio iraniano ao longo da crise em Gaza permitiu aos houthis lançar ataques contra Israel e alvos marítimos, embora o Irã muitas vezes tenha transferido a autoridade de tomada de decisões operacionais para os houthis”, disse Watson.

    Os EUA lançaram esta semana a Operação Prosperity Guardian, uma coalizão marítima destinada a reforçar a segurança no sul do Mar Vermelho. Mais de 20 nações aderiram à iniciativa até agora, informou o Pentágono na quinta-feira.”

    Vídeo: EUA atacam alvos ligados ao Irã na Síria

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original