Tentativas de Trump de reverter derrota nas urnas começam a colapsar


Gregory Krieg, da CNN
22 de novembro de 2020 às 10:39 | Atualizado 22 de novembro de 2020 às 10:40
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos
Donald Trump, presidente dos Estados Unidos, fala pela primeira vez depois da vitória de Joe Biden
Foto: Reprodução/CNN (13.nov.2020)

Depois de sucessivas derrotas jurídicas e políticas, as tentativas do presidente americano, Donald Trump, de reverter sua derrota nas urnas para o democrata Joe Biden estão cada vez mais longe de sucesso.

No sábado, a campanha pediu uma nova recontagem na Geórgia, mesmo depois de o resultado no estado ter sido oficializado e uma recontagem manual ter confirmado a vitória democrata no estado. A nova recontagem será mecânica e dificilmente mudará o resultado da eleição. 

Leia mais:
Geórgia fará nova recontagem de votos após pedido de campanha de Trump
Juiz rejeita ação de campanha de Trump para invalidar votos na Pensilvânia
A alternância de poder nos EUA: veja todos os presidentes eleitos até hoje

Horas antes, um juiz federal rejeitou o último pedido de Trump para anular os votos de milhões de eleitores na Pensilvânia. 

Em todo país, advogados e aliados de Trump veem suas alegações infundadas de fraude serem tratadas com cada vez mais ceticismo pela Justiça. Com o prazo para que os estados oficializem os resultados para a votação indireta no colégio eleitoral perto do fim, os aliados de Trump ainda colocam em dúvida o resultado da eleição sempre que podem. A chance de sucesso, no entanto, é cada vez mais nula. 

Na Pensilvânia, o juiz Matthew Brann, um republicano, detalhou na própria sentença os absurdos e a falta de provas alegados pelos advogados do presidente. 

"Essa alegação, como um frankenstein, juntou ao acaso pedaços de duas teorias", disse o juiz. Após sua decisão, o senador republicano Pat Toomey reconheceu a vitória de Biden. 

Ao longo da semana, a campanha perdeu processos judiciais em Nevada, Arizona e Michigan.

Nos Estados Unidos, cada estado certifica o resultado da eleição e define os delegados que votarão no colégio eleitoral, conforme o resultado do voto popular. 

Diante da iminente derrota nos tribunais, o presidente apelou para tentar convencer parlamentares republicanos em nível estadual a mudar os votos desses delegados no colégio eleitoral. 

Na sexta-feira, ele se reuniu com deputados de Michigan, que rejeitaram a iniciativa. Trump também convidou delegados da Pensilvânia para encontrá-lo na Casa Branca na segunda-feira.  A iniciativa tem pouca chance de sucesso.

(Com informações da Reuters)