Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Aliados de Biden arrecadam US$10 mi para desafiar máquina de mídia social de Trump

    SuperPAC baseado em Palo Alto, apoiado por gigantes da tecnologia, está levantando pelo menos 10 milhões de dólares para ajudar a entender melhor os algoritmos que auxiliam Trump e seus aliados a dominar as plataformas de vídeos verticais

    Presidente dos EUA Joe Biden em campanha na Filadélfia
    Presidente dos EUA Joe Biden em campanha na Filadélfia 29/5/2024 REUTERS/Elizabeth Frantz

    Jarrett Renshawda Reuters

    O principal SuperPAC de reeleição do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, está arrecadando milhões de dólares para tentar resolver um problema que aflige os democratas: como competir com a máquina de mídia social do republicano Donald Trump, que lança uma série de vídeos virais.

    O esforço não relatado anteriormente pelo altamente secreto Future Forward USA Action ressalta as preocupações gerais entre os democratas e os doadores de Biden de que ele e sua campanha estão perdendo uma guerra de vídeos virais com o Partido Republicano, que o retrata implacavelmente como muito velho e fora de sintonia.

    Os democratas dizem que estão tentando recuperar o atraso em um campo de batalha com poucas regras ou maneiras de policiar conteúdo manipulado ou enganoso antes que ele chegue a dezenas de milhões de norte-americanos em seus smartphones.

    O SuperPAC baseado em Palo Alto, apoiado por gigantes da tecnologia como o cofundador do Facebook Dustin Moskovitz e o fundador do LinkedIn Reed Hoffman, está levantando pelo menos 10 milhões de dólares para ajudar a entender melhor os algoritmos que auxiliam Trump e seus aliados a dominar as plataformas de vídeos verticais.

    Também planeja colaborar com influenciadores de esquerda para ajudar a gerar e disseminar novos conteúdos, de acordo com duas fontes familiarizadas com os planos.

    Muitas plataformas populares de mídia social, como TikTok e Instagram, têm adotado vídeos curtos e verticais como seu formato principal. Elas deram origem a uma rede de “influenciadores” que usam as plataformas para alcançar milhões de norte-americanos com conteúdo sobre o que eles estão comendo, vestindo e pensando.

    O Future Forward juntou-se aos grupos democratas Way to Win e Hub Project no mês passado em um hotel de luxo em Washington DC para receber 140 influenciadores em um evento de três dias chamado “Trending Up”, segundo os organizadores.

    O esforço atual do Future Forward está concentrado no Instagram Reels, YouTube Shorts e TikTok, disseram as fontes.

    “O Future Forward está aí para ajudar a resolver problemas, e o TikTok é um problema e o grupo está razoavelmente tentando resolver esse problema”, disse uma das fontes democratas.

    A batalha nas mídias sociais pode ter um impacto descomunal em uma disputa entre Biden e Trump que, segundo as pesquisas, está extremamente acirrada e apresenta dois candidatos impopulares.

    Desde fevereiro, quando a campanha de Biden se juntou oficialmente à plataforma TikTok, ela postou mais de 200 vezes e conquistou pouco mais de 380.000 seguidores. Trump entrou no TikTok há cerca de duas semanas, mas já acumulou 6,4 milhões de seguidores.

    A mídia social desempenha um papel crucial no consumo de notícias dos norte-americanos, principalmente entre os mais jovens. Metade dos adultos dos EUA recebe notícias pelo menos algumas vezes das mídias sociais, de acordo com o estudo do Pew Research Center de fevereiro.

    Chauncey McLean, diretor do Future Forward, não respondeu aos pedidos de comentários. O grupo, que planeja gastar 250 milhões de dólares em anúncios de televisão e digitais nesta temporada de campanha, raramente fala publicamente sobre suas atividades.