Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Chanceler do Reino Unido, David Cameron, se reúne com Trump na Flórida

    Visita a candidatos de oposição é considerada “padrão”, de acordo com governo britânico; ex-premiê vai se reunir com Antony Blinken em Washington

    Secretário das Relações Exteriores do Reino Unido, David Cameron
    Secretário das Relações Exteriores do Reino Unido, David Cameron 01/02/2024REUTERS/Mohamed Azakir

    Kaitlan Collinsda CNN

    O secretário britânico de Relações Exteriores, David Cameron, se reuniu com Donald Trump no resort de Mar-a-Lago do ex-presidente na noite de segunda-feira (8), disseram à CNN duas pessoas familiarizadas com a visita.

    A viagem de Cameron para o sul da Flórida aconteceu antes de o ex-primeiro-ministro viajar a Washington para se encontrar com o secretário de Estado, Antony Blinken, nesta semana. Um porta-voz do governo britânico chamou-o de “prática padrão” para o engajamento entre ministros e candidatos da oposição de nações parceiras.

    A dupla discutiu os gastos com a defesa da Otan, as próximas eleições nos EUA e no Reino Unido, o Brexit e “acabar com o assassinato na Ucrânia”, durante o jantar juntos, de acordo com uma leitura da campanha de Trump.

    Karen Pierce, embaixadora britânica nos Estados Unidos, também esteve presente no jantar.

    Cameron já pediu anteriormente aos parlamentares dos EUA para passar ajuda adicional à Ucrânia, chamando a América de a “peça-chave” da coalizão ocidental que apoia a luta da Ucrânia contra a Rússia. Sua visita ao ex-presidente ocorre quando tentativas de passar a ajuda da Ucrânia no Congresso enfraquecem com o presidente da Câmara, Mike Johnson, até agora se recusando a realizar uma votação – e com Trump ajudando a afundar tentativas passadas de uma solução bipartidária.

    Secretário de Relações Exteriores de um dos aliados mais próximos da América, Cameron serviu como primeiro-ministro de 2010 a 2016, deixando o cargo antes de Trump assumir a presidência no ano seguinte. Se o ex-presidente vencer as eleições de novembro, Cameron provavelmente perderá um segundo governo Trump. O Partido Conservador de Cameron está caindo dramaticamente em popularidade em comparação com o Partido Trabalhista de oposição antes de uma eleição geral marcada para ocorrer até o fim do ano.

    A viagem de Cameron, disse o porta-voz do governo britânico, está focada em “uma série de prioridades compartilhadas entre os EUA e o Reino Unido, incluindo garantir apoio internacional à Ucrânia e trazer estabilidade ao Oriente Médio.”

    Trump e Cameron criticaram nos últimos dias o modo como Israel lidou com sua guerra em Gaza. Cameron disse em um artigo do Sunday Times que o apoio do Reino Unido a Israel “não é incondicional”, acrescentando que Israel “deve obedecer” às leis humanitárias em Gaza. Trump na semana passada disse que Israel precisa “terminar o que começou” e “acabar com isso rápido.” Ele argumentou que Israel estava “perdendo a guerra de relações públicas” por causa dos relatos que vêm de Gaza, onde mais de 33 mil pessoas, incluindo milhares de crianças, foram mortas desde 7 de outubro, de acordo com o Ministério da Saúde de Gaza.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original