Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições nos EUA: veja quem Trump poderá escolher para concorrer a vice

    Lista de possíveis escolhas para dividir a chapa é longa, tanto com nomes mencionados pelo ex-presidente quanto com nomes sugeridos por assessores

    Trump celebra vitória em Nashua
    Trump celebra vitória em Nashua 23/1/2024 REUTERS/Mike Segar

    Tim Reidda Reuters

    Com a disputa das primárias republicanas ficando para trás, Donald Trump agora enfrenta uma grande decisão sobre sua escolha de companheiro de chapa para enfrentar o presidente democrata Joe Biden em novembro.

    Vai o candidato presidencial republicano escolher uma mulher ou uma pessoa não branca para aumentar o seu apoio nos principais blocos eleitorais?

    Ele escolherá a lealdade em vez da ambição política? Será que ele vai surpreender com alguém que não está no radar da maioria das pessoas?

    A lista de possíveis escolhas para vice-presidente é longa, tanto com nomes mencionados por Trump quanto com nomes sugeridos por assessores.

    Uma coisa parece certa: Mike Pence, o ex-vice-presidente de Trump, não estará na cédula com ele em 2024.

    Abaixo estão listados alguns dos potenciais candidatos a vice de Trump.

    Tim Scott

    Scott, um senador americano pela Carolina do Sul que é negro, tornou-se um aliado ferozmente leal de Trump desde que ele encerrou sua candidatura presidencial em novembro.

    Senador republicano Tim Scott / 23/10/2023 REUTERS/Jim Vondruska

    Os assessores têm instado Trump a escolher uma mulher ou um homem negro para adicionar diversidade à chapa e atrair eleitores mais moderados.

    Trump elogiou publicamente o legislador de 58 anos, chamando-o de “grande defensor”.

    Resta saber se o gentil Scott seria adequado para o tradicional papel de companheiro de chapa de “cão de ataque”.

    Kristi Noem

    Noem, que cumpre seu segundo mandato de quatro anos como governador da Dakota do Sul após uma vitória esmagadora na reeleição em 2022, está próxima de Trump.

    A governadora da Dakota do Sul, Kristi Noem, discursando durante o CPAC de 2024.
    A governadora da Dakota do Sul, Kristi Noem, discursando durante o CPAC de 2024. / Celal Gunes/Anadolu via Getty Images

    Ela ganhou destaque nacional depois de se recusar a impor a obrigatoriedade do uso de máscara em todo o estado durante a pandemia de Covid-19.

    Noem, de 52 anos, fez campanha para Trump em vários eventos no estado vizinho de Iowa, em janeiro.

    “Acho que qualquer pessoa neste país, se isso lhe for oferecido, precisa considerar isso”, disse ela quando questionada pela CBS em janeiro sobre ser companheira de chapa de Trump.

    Noem é uma política habilidosa e pode ser carismática demais para Trump, que não gosta de ser ofuscado.

    Elise Stefanik

    Stefanik, uma congressista de Nova York, é outra aliada ferozmente leal de Trump e uma estrela em ascensão no Partido Republicano como mulher no mais alto escalão da Câmara.

    Deputada republicana de Nova York, Elise Stefanik, fala no Capitólio, em 6 de março de 2024.
    Deputada republicana de Nova York, Elise Stefanik, fala no Capitólio, em 6 de março de 2024. / Alex Wong/Getty Images

    Ela ganhou destaque nacional em dezembro, depois de constranger os diretores de três universidades importantes sobre o antissemitismo em seus campi durante uma audiência no Congresso.

    Dois deles renunciaram posteriormente, incluindo o presidente da alma mater de Stefanik, a Universidade de Harvard.

    Stefanik foi uma dos 147 membros do Congresso que votaram pela não certificação da vitória de Biden nas eleições de 2020 em 6 de janeiro de 2021, dia do motim dos apoiadores de Trump no Capitólio dos EUA.

    Há preocupações entre alguns republicanos de que Stefanik, de 39 anos, possa ser muito inexperiente para a eleição presidencial.

    Sarah Huckabee Sanders

    Sanders, de 41 anos, é governadora do Arkansas, e ex-secretária de imprensa de Trump na Casa Branca.

    Sarah Huckabee Sanders, ex-secretária de Imprensa de Donald Trump.
    Sarah Huckabee Sanders, ex-secretária de Imprensa de Donald Trump e governaora do Arkansas. / Tom Williams/CQ-Roll Call, Inc via Getty Images

    Ela frequentemente defende seu histórico no comando do Arkansas.

    Porta-voz experiente e testada em batalha, ela seria uma defensora habilidosa do ex-presidente durante a campanha.

    Não está claro se ela aceitaria o cargo de companheira de chapa.

    “Eu absolutamente amo o trabalho que tenho”, disse ela em janeiro.

    O pai de Sanders, ex-candidato presidencial e ex-governador do Arkansas Mike Huckabee, também apoia Trump há muito tempo.

    Byron Donalds

    Donalds, de 45 anos, é um congressista negro da Flórida.

    Conservador que pertencia ao movimento de extrema direita Tea Party, Donalds votou pela não certificação da vitória eleitoral de Biden em 2020 em 6 de janeiro de 2021.

    Deputado republicano Byron Donalds discursa durante evento em West Palm Beach, na Flórida, nos EUA, em julho de 2023.
    Deputado republicano Byron Donalds discursa durante evento em West Palm Beach, na Flórida, nos EUA, em julho de 2023. / Gage Skidmore

    Defensor eloquente de Trump, o congressista pode ser visto frequentemente em eventos de campanha do ex-presidente.

    Trump disse à Fox News em fevereiro que Donalds está em sua lista.

    Questionado pela Reuters em fevereiro sobre isso, Donalds disse que era “muito legal” e confirmou que quer ser companheiro de chapa de Trump.

    Vivek Ramaswamy

    Ramaswamy é outro ex-rival de Trump nas primárias republicanas e que se tornou um defensor declarado desde que abandonou a disputa em janeiro.

    Ex-candidato nas prévias republicanas Vivek Ramaswamy fala em seu evento no Surety Hotel em 15 de janeiro de 2024, em Des Moines, Iowa / Kevin Dietsch/Getty Images

    Ramaswamy, de 38 anos, um ex-investidor multimilionário em biotecnologia, dominou muitos dos debates presidenciais republicanos com seu estilo astuto e confrontos com outros candidatos.

    Mas quanto mais os eleitores republicanos nas primárias viam dele, menos gostavam dele, de acordo com as pesquisas de opinião – um fator que pode pesar contra ele.

    Tulsi Gabbard

    Ex-congressista democrata que concorreu à presidência como democrata em 2020, Gabbard deixou o partido em 2022 para se tornar independente.

    Tulsi Gabbard
    A congressista do Havaí e ex-candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Tulsi Gabbard / Foto: Brendan McDermid/Reuters (19.mar.2020)

    Ela tornou-se cada vez mais crítica de Biden e de seu governo, e tornou-se extremamente popular entre os conservadores e uma convidada frequente em programas de televisão e rádio de extrema-direita.

    Em fevereiro, Gabbard, de 42 anos, foi a oradora principal na CPAC, a Conferência de Ação Política Conservadora, onde acusou os críticos democratas de Trump de terem a “mentalidade de ditadores”.

    O fato de ela ser uma democrata de longa data pode funcionar contra ela para garantir o segundo lugar.

    Ben Carson

    Carson, que é negro, é ex-secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano de Trump.

    Ex-secretário do governo Trump Ben Carson discursando durante o CPAC de 2016, em Maryland.
    Ex-secretário do governo Trump Ben Carson discursando durante o CPAC de 2016, em Maryland. / Gage Skidmore

    Neurocirurgião aposentado, Carson, de 72 anos, concorreu sem sucesso à indicação presidencial republicana em 2016.

    Ele ganhou destaque nacional como conservador negro após um discurso de 2013 no National Prayer Breakfast, quando criticou as políticas de Barack Obama, com o então democrata presidente sentado a poucos metros de distância.

    Carson, um adventista do sétimo dia, ficou perplexo com a campanha de Trump em Iowa neste ciclo eleitoral ao visitar igrejas no estado.

    No entanto, seu estilo de campanha discreto e peculiar pode tirá-lo da lista de vice-presidentes.

    Kari Lake

    Lake, ex-âncora de TV, está concorrendo a uma vaga no Senado dos EUA no Arizona em novembro.

    Kari Lake discursando durante evento no Arizona, na cidade de Phoenix, em agosto de 2022.
    Kari Lake discursando durante evento no Arizona, na cidade de Phoenix, em agosto de 2022. / Gage Skidmore

    Ela concorreu sem sucesso para governadora no estado-pêndulo em 2022, apesar de obter o apoio de Trump.

    Lake nunca admitiu essa disputa e promoveu a afirmação infundada de Trump de que a sua derrota nas eleições de 2020 para Biden foi resultado de fraude.

    Lake, de 54 anos, é um oradora habilidosa, mas pode ser uma figura muito polarizadora em um ano em que Trump precisará de eleitores moderados em estados indecisos para vencer em novembro.

    Nikki Haley

    Alguns republicanos acreditam que Haley, a ex-embaixadora da ONU que foi a último rival remanescente de Trump na corrida das prévias republicanas, seria uma companheira de chapa ideal.

    Nikki Haley em Fort Worth / 4/3/2024 REUTERS/Shelby Tauber

    Ela apela aos eleitores que Trump precisa – republicanos e independentes mais moderados – para ajudá-lo a vencer Biden.

    Mas Haley, de 52 anos, insiste que não será companheira de chapa de Trump e irritou Trump ao demorar tanto para desistir da corrida pela indicação.

    Quando Haley desistiu da disputa no início deste mês, ela se recusou a dizer se apoiaria Trump contra Biden.

    Marjorie Taylor Greene

    A congressista da Geórgia, de 49 anos, é uma crítica combativa e aberta de Biden e defensora de Trump.

    Marjorie Taylor Greene / Reprodução/Twitter

    Trump gosta dela. Mas Greene também é uma figura controversa que pode ser demasiadamente polarizadora como companheira de chapa.

    Ela promoveu teorias de conspiração de extrema direita, votou em 6 de janeiro de 2021 para não certificar a vitória de Biden nas eleições, e uma vez comparou as medidas de segurança da Covid-19 à perseguição aos judeus durante o Holocausto.