Eleições nos EUA: Alexandria Ocasio-Cortez é reeleita para Câmara dos Deputados

Outras três deputadas do grupo chamado Esquadrão, Ilhan Omar, Rashida Tlaib e Ayanna Pressley, conseguiram a reeleição

Alexandria Ocasio-Cortez, de 31 anos, criou um exército de apoiadores leais em todo o país
Alexandria Ocasio-Cortez, de 31 anos, criou um exército de apoiadores leais em todo o país Foto: Reprodução - 15.jul.2019 / Reuters

Ouvir notícia

A deputada democrata Alexandria Ocasio-Cortez foi reeleita para o 14º Distrito Congressional de Nova York, contra dois adversários – o republicano John C. Cummings e Michelle Caruso-Cabrera, do partido do Serve America Movement (Movimento Sirva os EUA) –, segundo projeções da CNN.

Além disso, outras três deputadas – que, com Ocasio-Cortez, formam o grupo chamado Esquadrão –, Ilhan Omar (Minnesota), Rashida Tlaib (Michigan) e Ayanna Pressley (Massachusetts), também conseguiram a reeleição.

Desde que tomaram posse, em janeiro de 2019, essas deputadas – todas mulheres de cor – têm dado energia à base progressista da esquerda e ganharam destaque nas redes sociais. Contudo, também atraíram a ira do presidente Donald Trump. Nenhuma delas enfrentou desafios significativos na disputa pela reeleição.

Assista e leia também:
América Decide: resultado das eleições nos EUA
5 pontos para se prestar atenção antes do resultado final das eleições nos EUA
Veja as principais projeções da CNN na apuração das eleições nos EUA

A disputa pela cadeira Democrata que representa parte dos bairros de Bronx e Queens na cidade de Nova York nunca foi considerada acirrada. No entanto, Ocasio-Cortez, cujo primeiro mandato teve grande destaque, arrecadou fundos de maneira agressiva e enfrentou uma oposição bem financiada em sua primeira candidatura à reeleição.

Ela arrecadou mais de US$ 17 milhões ao longo da campanha, enquanto Cummings arrecadou cerca de US$ 9,6 milhões e Caruso-Cabrera, mais de US$ 3,3 milhões, de acordo com os relatórios de arrecadação de fundos apresentados à Comissão Eleitoral Federal. 

A disputa também teve uma quantidade anormal de gastos externos, predominantemente contra Ocasio-Cortez. Um grupo chamado “Stop the AOC PAC”, gastou US$ 68,3 mil em anúncios digitais e comunicação com eleitores em oposição a Ocasio-Cortez.

No primeiro mandato, Ocasio-Cortez, de 31 anos, criou um exército de apoiadores leais em todo o país e já está sendo considerada para concorrer à presidência.

A autodenominada socialista democrática é frequentemente alvo de ataques dos republicanos, inclusive de Trump, por suas crenças liberais, incluindo uma proposta do “Green New Deal”, o novo acordo verde. 

Ocasio-Cortez foi capa da edição de dezembro da revista Vanity Fair, o que desencadeou um esperado ciclo de elogios e condenações que se desfez em linhas partidárias. Na entrevista, ela disse que as autoridades registraram várias ameaças de morte contra ela no curto período de tempo desde que assumiu o cargo.

A deputada derrotou Caruso-Cabrera nas primárias democratas deste ano. O antigo correspondente e âncora da emissora CNBC concorreu nas eleições gerais representando o partido do Serve America Movement.

Ocasio-Cortez ganhou destaque pela primeira vez após derrotar o deputado democrata Joe Crowley nas eleições de 2018, sem experiência política na época.

(Texto traduzido. Leia o original em inglês.)

Mais Recentes da CNN