Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Embaixador de Israel pede renúncia do secretário-geral da ONU: “Demonstra compaixão por atrocidades”

    Gilad Erdan chamou o Hamas de nazista e acusou António Guterres de distorcer os ataques do grupo radical islâmico

    Embaixador de Israel na ONU, Gilad Erdan, reagiu à fala de Guterres no Conselho de Segurança
    Embaixador de Israel na ONU, Gilad Erdan, reagiu à fala de Guterres no Conselho de Segurança Reuters

    Flávio Ismerimda CNN São Paulo

    O embaixador de Israel na ONU, Gilad Erdan, pediu nesta terça-feira (24), que o secretário-geral da organização, António Guterres, renuncie imediatamente.

    Erdan afirmou que Guterres distorce os ataques terroristas do grupo radical islâmico Hamas após a fala do secretário-geral na reunião do Conselho de Segurança da ONU desta terça-feira.

    “O discurso chocante do secretário-geral da ONU na reunião do Conselho de Segurança, enquanto foguetes são disparados contra todo Israel, provou conclusivamente, sem qualquer dúvida, que o secretário-geral está completamente desligado da realidade na nossa região e que ele vê o massacre cometido pelos terroristas nazistas do Hamas de uma forma distorcida e imoral”, escreveu Erdan.

    “A sua declaração de que ‘os ataques do Hamas não aconteceram no vácuo’ expressou uma compreensão pelo terrorismo e pelo assassinato. É realmente incompreensível. É verdadeiramente triste que o chefe de uma organização que surgiu após o Holocausto tenha opiniões tão horríveis. Uma tragédia!”, completou Erdan.

    Erdan acusou Guterres de demonstração compreensão e compaixão ao Hamas.

    “Não há qualquer justificação ou sentido em falar com aqueles que demonstram compaixão pelas mais terríveis atrocidades cometidas contra os cidadãos de Israel e o povo judeu. Simplesmente não há palavras”, afirmou Erdan em suas redes sociais.

    Vídeo: Precisamos acabar com “massacres contra palestinos”, diz chanceler da Palestina na ONU

    Veja imagens da guerra entre Israel e Hamas