Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Erdogan diz que apoio a curdos prejudica entrada da Suécia na Otan 

    Presidente da Turquia afirmou, no entanto, que governo sueco atuou “na direção certa” ao aprovar legislação antiterrorismo

    Presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, segue bloqueando a entrada da Suécia na Otan
    Presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, segue bloqueando a entrada da Suécia na Otan 18/01/2023Assessoria de Imprensa da Presidência/Divulgação via REUTERS

    Da Reuters

    O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse que a Suécia tomou medidas na direção certa para sua proposta da Otan com legislação antiterrorismo, mas os protestos contínuos de militantes simpatizantes curdos minaram suas medidas, disse o gabinete de Erdogan.

    A presidência turca disse que Erdogan fez os comentários em um telefonema com o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, em meio a dúvidas de que Ancara retirará sua oposição à adesão da Suécia à Otan a tempo da cúpula do bloco na Lituânia, de 11 a 12 de julho.

    A Suécia e a Finlândia se inscreveram para ingressar na Otan no ano passado, abandonando as políticas de não-alinhamento militar após a invasão da Ucrânia pela Rússia. As candidaturas devem ser aprovadas por todos os membros da Otan, mas a Turquia e a Hungria ainda não aprovaram a candidatura da Suécia.

    A Turquia tem repetidamente dito que a Suécia deve tomar mais medidas contra os apoiadores do proscrito Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e membros de uma rede que Ancara responsabiliza por uma tentativa de golpe em 2016. A Turquia designa ambas como organizações terroristas.

    “O presidente Erdogan disse que a Suécia deu passos na direção certa ao fazer mudanças na legislação antiterrorismo”, disse o comunicado.

    “Mas os apoiadores do PKK…organização terrorista continuam a organizar livremente manifestações elogiando o terrorismo, o que anula as medidas tomadas”, afirmou.

    Nos últimos meses, manifestantes em Estocolmo agitaram bandeiras mostrando apoio ao PKK, que também é considerado um grupo terrorista pelos aliados ocidentais da Turquia, incluindo a Suécia.

    A Suécia diz que manteve sua parte de um acordo fechado com a Turquia em Madri no ano passado, com o objetivo de abordar as preocupações de segurança de Ancara, incluindo uma nova lei antiterrorismo.

    (Reportagem de Daren Butler)