Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Escassez de remédios para febre provoca caos na China; entenda

    Devido aos aumentos de casos de Covid, versões genéricas de Tylenol e Advil estão esgotadas em farmácias em Hong Kong, Macau, Taiwan e até na Austrália

    China está enfrentando seu pior surto desde o início da pandemia, com analistas do banco de investimentos Nomura descrevendo a situação como “caos em todo o país”
    China está enfrentando seu pior surto desde o início da pandemia, com analistas do banco de investimentos Nomura descrevendo a situação como “caos em todo o país” CNN/Reprodução

    Laura HeEric Cheungda CNN

    em Hong Kong e Taipé

    Uma onda sem precedentes de infecções por Covid-19 na China provocou escassez generalizada de medicamentos, enquanto as pessoas lutam para comprar remédios para febre e analgésicos para aliviar os sintomas semelhantes aos da gripe.

    O pânico de compra se espalhou para fora das fronteiras da China continental, com as versões genéricas de Tylenol e Advil esgotadas em farmácias em Hong Kong, Macau, Taiwan e até na Austrália, levando algumas farmácias locais a limitar as vendas.

    Mesmo remédios caseiros, como pêssegos enlatados, estão sendo comprados por pessoas que procuram maneiras de combater a Covid.

    A situação reflete a escassez observada nos Estados Unidos e no Canadá de analgésicos infantis, cuja demanda é alta devido à proliferação de vírus respiratórios.

    O chefe de saúde de Hong Kong, uma região administrativa especial com um sistema de governo separado do continente chinês, pediu ao público que se abstenha de acumular remédios para resfriado, pedindo-lhes que “não exagerem”.

    Em cinco drogarias no distrito comercial de Wan Chai, o medicamento Panadol, a marca local do Tylenol, está esgotado há duas semanas, disseram vendedores à CNN. Um vendedor, que se identificou como Simon, disse que a escassez se deve aos compradores que compram a granel para enviar a seus amigos e parentes no continente.

    Quando sua loja consegue obter algum suprimento, ele consegue entregar a clientes antigos na China por meio de um processo complexo que leva cerca de duas semanas, custando entre HK$ 150 (US$ 19) a HK$ 200 (US$ 26) por 2 kg.

    “Enviamos as drogas por correio para Macau, onde os nossos agentes as recolhem e depois entregam-nas em mão através da fronteira para Zhuhai”, disse, acrescentando que os correios devem ficar em quarentena assim que chegarem ao continente. Macau é outra região administrativa especial da China, enquanto Zhuhai é uma cidade do sul da China continental com a qual faz fronteira.

    As regras atuais não permitem que remédios sejam enviados diretamente de Hong Kong para a China continental, segundo os vendedores. Enviar agentes diretamente de Hong Kong, que também faz fronteira terrestre com o continente, não é viável devido à falta de agentes disponíveis, disse Simon.

    Em Macau, o regulador de medicamentos ordenou na semana passada que as farmácias limitassem a compra de analgésicos, remédios para febre e kits de teste de antígeno. A ordem veio depois que os moradores reclamaram de prateleiras vazias quando procuravam remédios para resfriado e febre, segundo o Exmoo News, um jornal local.

    Falta de abastecimento em Taiwan, Austrália

    A China está enfrentando seu pior surto desde o início da pandemia, com analistas do banco de investimentos Nomura descrevendo a situação como “caos em todo o país”.

    “Em tudo isso, uma grande questão é se a reabertura atual foi planejada”, disseram analistas da Capital Economics em nota separada. “Parece que o aparato estatal mais amplo não viu uma mudança chegando.”

    Na segunda-feira, as autoridades nacionais começaram a anunciar as primeiras mortes relacionadas à Covid desde o alívio das restrições à pandemia em 7 de dezembro. Apenas algumas mortes foram relatadas, mesmo com postagens nas redes sociais apontando para um aumento na demanda nas funerárias de Pequim e longas filas nos hospitais e clínicas de febre da cidade.

    Com os serviços de saúde sobrecarregados, os cidadãos chineses recorreram a redes pessoais em todo o mundo para garantir suprimentos da Covid.

    Um jornalista da CNN visitou uma dúzia de farmácias em vários distritos de Taipei na noite de terça-feira, sem conseguir encontrar uma única caixa de Panadol. Lin, um balconista da Kawaki Drug Store no centro da cidade, disse que a demanda aumentou nas últimas duas semanas.

    “Sempre enfrentamos uma escassez de Panadol desde o surto de Covid-19, mas a situação se tornou muito mais aguda”, disse ele. “Alguns clientes nos disseram que queriam enviar os comprimidos para seus parentes e amigos na China, dada a situação lá.”

    I Li-chen, uma farmacêutica do distrito de Xinyi, em Taipei, disse que sua farmácia recebeu recentemente muitas perguntas sobre os comprimidos de Panadol.

    “Algumas pessoas queriam comprar as pílulas porque queriam enviá-las para parentes na China, enquanto outras precisavam delas porque teriam que visitar a China em breve”, disse ela.

    Mesmo na Austrália, que tem cidades com grandes populações de residentes de etnia chinesa, alguns australianos chineses preocupados começaram a enviar remédios para gripe e resfriado sem receita para familiares na China, segundo a ABC News.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original