Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Estados Unidos nunca reconhecerão referendos da Rússia na Ucrânia”, diz Biden

    Quatro áreas ocupadas pela Rússia começaram a votar na última sexta-feira (23) em referendos sobre a adesão à Rússia, de acordo com seus líderes separatistas

    Presidente disse que os EUA continuarão a trabalhar com aliados para "impor custos econômicos adicionais rápidos e severos à Rússia"
    Presidente disse que os EUA continuarão a trabalhar com aliados para "impor custos econômicos adicionais rápidos e severos à Rússia" Alexander Ermochenko/Reuters

    Sam FossumKatharina KrebsRadina Gigovada CNN

    O presidente Joe Biden disse que os Estados Unidos nunca reconhecerão os referendos da Rússia em partes ocupadas da Ucrânia.

    “Os Estados Unidos nunca reconhecerão o território ucraniano como nada além de parte da Ucrânia. Os referendos da Rússia são uma farsa — um falso pretexto para tentar anexar partes da Ucrânia à força em flagrante violação do direito internacional, incluindo a Carta das Nações Unidas”, disse Biden em um comunicado.

    O presidente disse que os EUA continuarão a trabalhar com aliados para “impor custos econômicos adicionais rápidos e severos à Rússia”.

    “Os Estados Unidos estão com nossos parceiros em todo o mundo — e com todas as nações que respeitam os princípios centrais da carta da ONU — ao rejeitar quaisquer resultados fabricados que a Rússia anuncie”, disse o comunicado.

    Quatro áreas ocupadas pela Rússia começaram a votar na última sexta-feira (23) em referendos sobre a adesão à Rússia, de acordo com seus líderes separatistas, em um movimento que aumenta os riscos da invasão de Moscou.

    Os referendos, que são ilegais sob a lei internacional e descartados como uma farsa pelos governos ocidentais e Kiev, podem abrir caminho para a anexação russa das áreas, permitindo que Moscou enquadre a contra-ofensiva ucraniana em andamento como um ataque à própria Rússia.

    Mais de 18 mil pessoas participam de referendo em Donetsk

    Cerca de 18.550 cidadãos da autoproclamada República Popular de Donetsk participaram de um referendo organizado por autoridades apoiadas pela Rússia no primeiro dia de votação, disse um líder separatista à mídia estatal russa RIA Novosti.

    Os referendos, que acontecem em quatro partes da Ucrânia sob controle russo, foram amplamente denunciados pelos governos ocidentais como uma farsa. A União Europeia disse que não reconhecerá os resultados e indicou que está preparando um novo pacote de sanções contra a Rússia.

    “Na quinta, mais de 550 cidadãos do DPR votaram no território da embaixada do DPR e quase 18.000 cidadãos do DPR votaram no território de toda a Federação Russa”, Olga Makeeva, chefe do escritório do separatista DPR em Moscou, disse sábado, de acordo com a RIA.

    A mídia estatal disse que a chamada Comissão Eleitoral Central da DPR afirmou que a participação no final do primeiro dia de votação no referendo foi de 23,64%.

    Outra autoridade russa afirmou que a participação geral no primeiro dia de votação ultrapassou 15% nas quatro regiões: as Repúblicas Populares de Donetsk e Luhansk, Zaporizhzhia e Kherson, informou a RIA.

    Para contextualizar: os observadores dizem que parece improvável que um processo tão apressado, em áreas onde muitos eleitores vivem perto da linha de frente do conflito, possa ser bem-sucedido ou justo.

    Além disso, devido ao deslocamento interno generalizado desde o início do conflito, os bancos de dados de votação provavelmente estão desatualizados.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original