Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    EUA devem anunciar compra de sistema de defesa antimísseis para a Ucrânia

    O governo de Joe Biden fornecerá "sistemas de foguetes e munições mais avançados" à medida que a guerra com a Rússia avança

    O presidente dos EUA, Joe Biden
    O presidente dos EUA, Joe Biden 18/06/2022 REUTERS/Elizabeth Frantz

    Kaitlan CollinsNatasha BertrandPhil Mattinglyda CNN

    Ouvir notícia

    Os EUA planejam anunciar ainda nesta semana que compraram um sistema avançado de defesa antimísseis terra-ar de médio a longo alcance para a Ucrânia, segundo revelou uma fonte sobre o anúncio à CNN.

    O presidente Joe Biden, que está se reunido com líderes do G7 desde sexta-feira (24), na Alemanha, para uma cúpula focada principalmente na Ucrânia, anunciou recentemente que os EUA fornecerão à Ucrânia “sistemas de foguetes e munições mais avançados” à medida que a guerra com a Rússia avança.

    O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky deve se dirigir virtualmente a Biden e outros líderes do G7 nesta segunda-feira (27).

    Em resposta aos pedidos das forças ucranianas, é provável que outra assistência militar também seja anunciada esta semana, incluindo munição de artilharia adicional e radares de contrabateria.

    Autoridades ucranianas pediram o sistema de defesa antimísseis, conhecido como sistema NASAMS, já que as armas podem atingir alvos a mais de 160 quilômetros de distância, embora as forças ucranianas provavelmente precisem ser treinadas nos sistemas, disse uma fonte.

    Os EUA vêm anunciando constantemente que está contribuindo para a segurança na Ucrânia. Na semana passada, o governo Biden revelou que irá fornecer mais US$ 450 milhões em assistência militar para a Ucrânia, entregando mais quatro sistemas de foguetes de lançamento múltiplo e munição de artilharia para outros sistemas.

    E no início de junho, o governo Biden disse que estava fornecendo mais US$ 1 bilhão em ajuda militar à Ucrânia, um pacote que inclui remessas de obuses adicionais, munição e sistemas de defesa costeira.

    A CNN informou na semana passada que as avaliações dos EUA sobre a guerra preveem uma batalha longa na parte oriental da Ucrânia, com grandes perdas de pessoal e equipamentos em ambos os lados.

    Autoridades dos EUA acreditam que as forças russas planejam manter ataques intensos no leste, caracterizados por ataques de artilharia pesada e mísseis, com a intenção de desgastar as forças ucranianas e a OTAN resolver ao longo do tempo.

    Da parte da Ucrânia, seus militares estão queimando munição da era soviética que se encaixa em sistemas mais antigos, e os governos ocidentais estão enfrentando uma decisão difícil sobre se querem continuar aumentando sua assistência ao país, algo que Biden já prometeu fazer.

    “Continuaremos a liderar no mundo a prestação de assistência para apoiar a luta da Ucrânia pela liberdade”, escreveu o presidente em um editorial do “New York Times” em maio.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original

    Mais Recentes da CNN