EUA: casos de Covid-19 em crianças e adolescentes aumentam 84% em uma semana

Grupo de pediatras alertou para impacto da disseminação da variante Delta entre não vacinados

Criança com máscara em parque de Los Angeles, EUA
Criança com máscara em parque de Los Angeles, EUA Foto: Allen J. Schaben / Los Angeles Times via Getty Images

Jen Christensen e Theresa Waldrop, da CNN

Ouvir notícia

Quase 72 mil crianças e adolescentes pegaram Covid-19 na semana passada nos Estados Unidos, um aumento “substancial” em relação à semana anterior, informou a Academia Americana de Pediatria na terça-feira (04).

O grupo contabilizou 71.726 novos casos de 22 a 29 de julho. Isso é um aumento “substancial” em relação aos quase 39 mil casos relatados uma semana antes, e cinco vezes mais crianças que estavam doentes no final de junho. A definição de criança varia de acordo com o estado, mas geralmente inclui crianças de até 17 ou 18 anos.

Depois de diminuições nos casos relatados nos últimos dois meses, os números de julho começaram a subir novamente, à medida que a variante Delta do vírus, altamente transmissível, tornou-se dominante no país.

“Isso é alto e, considerando o fato de que estamos vacinados agora, o que nos diz é que as pessoas não vacinadas estão sendo infectadas em maior número porque o vírus é mais infeccioso com a variante Delta”, disse a Dra. Yvonne Maldonado, chefe da divisão da doenças infecciosas no Departamento de Pediatria da Medicina de Stanford e presidente do comitê de doenças infecciosas da AAP.

Quase 4,2 milhões de crianças testaram positivo para Covid-19 desde o início da pandemia. Crianças e adolescentes representaram 19% dos casos relatados nos últimos dados semanais.
O relatório surge quando as escolas  acabaram de começar ou começarão em breve, com algumas não exigindo máscaras ou distanciamento social, e como os casos em muitas partes do país estão aumentando e as hospitalizações em níveis não vistos há meses.

Em uma escola da Geórgia, mais de 100 alunos estavam em quarentena depois que nove alunos e cinco membros da equipe testaram positivo para Covid-19 poucos dias após o primeiro dia de volta.

Crianças menores de 12 anos não são elegíveis para nenhuma das três vacinas usadas atualmente nos Estados Unidos, e a variante Delta de rápida disseminação as colocou em risco especial, dizem especialistas em saúde.

As vacinas estão sendo testadas agora em crianças a partir dos 6 meses, mas provavelmente não estarão disponíveis para crianças menores de 12 por vários meses.

“Nossa opinião é que as crianças não podem ser vacinadas, os pais devem claramente ser vacinados e se seus filhos tiverem 12 anos ou mais, eles também devem ser vacinados”, disse Maldonado.

Líderes de todo o país estão adotando várias abordagens para manter as crianças seguras, desde o governador de Utah, Spencer Cox, dizendo que o estado vai dar máscaras KN-95 para crianças, até o governador de Arkansas, Asa Hutchinson, pedindo ao legislativo do estado que emende uma lei a fim de dar aos distritos escolares a flexibilidade de exigir máscaras.

A academia, que representa os pediatras, destacou que a doença grave ainda parece rara entre as crianças. O número de hospitalizações permaneceu estável durante grande parte da pandemia. As crianças representaram de 1,3% a 3,5% das internações, dependendo do estado.

Sete estados não relataram mortes de crianças por Covid-19 durante a pandemia. Na segunda-feira, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos  relataram 526 mortes  entre crianças de 0 a 17 anos.

Entre os cerca de 25 milhões de crianças americanas entre 12 e 17 anos, cerca de 10,9 milhões foram vacinadas com pelo menos uma dose da vacina, de acordo com dados do CDC.

Mais Recentes da CNN