Orlando pede para população reduzir uso de água para ajudar pacientes da Covid

Utilizado para tratar a água da cidade, o oxigênio líquido tem sido necessário para lidar com o aumento de pacientes com Covid-19 na comunidade

Pacientes da Covid-19 em estado grave necessitam de cilindros de oxigênio para auxiliar na respiração
Pacientes da Covid-19 em estado grave necessitam de cilindros de oxigênio para auxiliar na respiração Foto: CNN Brasil

Rebekah RiessChristina Maxourisda CNN*

Ouvir notícia

O prefeito de Orlando, Buddy Dyer, está pedindo aos residentes que economizem água. Isso porque o oxigênio líquido, usado para tratar a água da cidade, tem sido necessário para lidar com o aumento de pacientes com Covid-19 na comunidade por conta da variante Delta.

“Nacionalmente, a demanda por oxigênio líquido é extremamente alta, já que a prioridade de seu uso é salvar vidas”, disse o prefeito em um post no Facebook na sexta-feira (20).

Para reduzir a demanda, a Orlando Utilities Commission (OUC) pediu aos clientes que limitassem imediatamente a irrigação de seus gramados, tomassem banhos curtos, consertassem vazamentos de torneiras e vasos sanitários, parassem de lavar seus veículos e não realizassem “atividades não críticas”, como lavagens de alta pressão.

A OUC disse que é “difícil determinar” quanto tempo vai durar a escassez de oxigênio líquido, porque ela está ligada ao número de pacientes de Covid-19 sendo tratados em hospitais. Quando essas hospitalizações diminuírem, o suprimento de oxigênio líquido provavelmente aumentará, de acordo com a concessionária.

“Este é outro impacto do vírus que continua aumentando em nossa comunidade”, disse o prefeito em seu post. “E é outro resultado do que acontece quando os residentes não tomam a vacina e ficam gravemente doentes, necessitando de apoio médico e tratamento.”

A Flórida relatou 150.118 casos na semana passada, de acordo com dados do departamento de saúde do estado, um pouco menos que o maior total que a região registrou em um período de sete dias na pandemia. O recorde foi estabelecido na semana anterior, quando o estado relatou 151.415 novos casos de Covid-19.

Mais de 17 mil pessoas estão hospitalizadas com o vírus em todo o estado, de acordo com dados do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos. Os hospitais estão atendendo a uma população mais jovem de pacientes em unidades de terapia intensiva em comparação com picos anteriores, de acordo com Mary Mayhew, presidente e CEO da Florida Hospital Association.

“Estes são jovens saudáveis, ​​de 20 e 30 anos, que por causa da natureza agressiva da variante Delta estão sendo hospitalizados”, disse Mayhew na sexta-feira no New Day da CNN. “Isso simplesmente não aconteceu nas ondas anteriores.”

Para responder ao aumento, Mayhew disse que os hospitais em todo o estado estão fazendo de tudo, desde adiar serviços eletivos, trazer funcionários de outros estados e até mesmo converter auditórios e “refeitórios para atender à demanda dos pacientes”.

Apesar da devastação desencadeada pelo vírus em seu estado, o governador Ron DeSantis segue uma campanha agressiva a contra obrigatoriedade na utilização de máscaras, inclusive nas escolas, onde milhares de alunos estão retornando ao aprendizado presencial.

No início deste mês, o gabinete de DeSantis disse que o conselho estadual de educação poderia reter os salários de superintendentes e membros do conselho escolar que desconsiderassem uma ordem executiva de julho do governador que efetivamente proíbe mandatos de máscara em distritos escolares.

*Texto traduzido, clique aqui para ler o conteúdo original

Mais Recentes da CNN