Auditoria manual de cédulas confirma vitória de Biden na Geórgia, diz secretário

Cédulas foram contadas manualmente

da CNN*

Ouvir notícia

 

O estado norte-americano da Geórgia finalizou nesta quinta-feira (19) a recontagem dos votos da eleição presidencial de 3 de novembro.

De acordo com uma nota do gabinete do secretário de Estado, Joe Biden venceu o atual presidente Donald Trump por 12.284 votos —uma pequena queda em relação aos resultados antes da auditoria.

Funcionários disseram repetidamente que a análise confirmou que não houve fraude ou irregularidade no processo eleitoral do estado. A Geórgia deveria, pelas leis estaduais, certificar o resultado da eleição até esta sexta (20).  

Leia também:

Como Trump está tornando as coisas mais difíceis para Biden de propósito

Trump corteja os líderes republicanos em Michigan para tentar reverter derrota

O secretário de Estado, Brad Raffesperger, disse que “não havia dúvida” que o estado certificaria a vitória de Biden. “A auditoria ficou alinhada muito proximamente do que tínhamos na noite da eleição”, disse ele ao canal de televisão local WSB-TV. “É tão próximo que não dá nem um dedal de diferença”. 

Nenhuma perda foi mais dolorida para a campanha republicana quanto a da Geórgia, um estado que tradicionalmente vota vermelho. O último democrata a vencer a eleição presidencial no estado foi Bill Clinton, em 1992.  

A confirmação da derrota na Geórgia deixa Trump com um número cada vez menor de opções para reverter os resultados de uma eleição na qual o democrata Biden recebeu 5,8 milhões de votos a mais. Excetuando-se uma série de acontecimentos inéditos, Biden será empossado no dia 20 de janeiro de 2021.

No Colégio Eleitoral, que determina o vencedor, Biden obteve 306 votos –muito acima dos 270 necessários– e Trump, 232.

Mas além de reverter os 16 votos da Geórgia que foram para Biden, Trump também teria que conquistar ao menos outros dois estados muito disputados. 

Na Pensilvânia, onde Biden venceu por 82 mil votos, a equipe de campanha de Trump está pedindo a um juiz que o declare vencedor e dizendo que o legislativo estadual, de maioria republicana, deveria escolher os eleitores que depositarão os 20 votos do estado no Colégio Eleitoral.

No Wisconsin, a equipe de Trump pagou por uma recontagem parcial, embora as autoridades eleitorais estaduais tenham dito que isso provavelmente só aumentará a vantagem de 20 mil votos de Biden no estado, que tem 10 votos no Colégio Eleitoral.

A equipe de Trump iniciou ações judiciais em vários outros estados, com pouco sucesso até agora. Mais cedo, o advogado de Trump, Rudy Giuliani, anunciou que está retirando a ação judicial que contestava o resultado da votação em Michigan

(*Com informações da Reuters e da CNN Internacional)

Mais Recentes da CNN