Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    EUA revogam designação terrorista das FARC e adicionam grupos separatistas

    Uma revisão da lista de terroristas - exigida a cada cinco anos pela lei dos EUA - concluiu que a organização de esquerda conhecida pela sigla em espanhol FARC não deveria mais ser listada

    Dois grupos dissidentes que se formaram a partir das FARC, La Segunda Marquetalia e FARC-EP, ou Exército do Povo, serão designados como organizações terroristas estrangeiras
    Dois grupos dissidentes que se formaram a partir das FARC, La Segunda Marquetalia e FARC-EP, ou Exército do Povo, serão designados como organizações terroristas estrangeiras Foto: Instagram/ Reprodução

    Daphne PsaledakisSimon Lewisda Reuters

    Os Estados Unidos revogarão na terça-feira a designação do grupo colombiano Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia como organização terrorista estrangeira, ao mesmo tempo em que designarão dois grupos separatistas como tal, disse um alto funcionário do Departamento de Estado na sexta-feira.

    Uma revisão da lista de terroristas – exigida a cada cinco anos pela lei dos EUA – concluiu que a organização de esquerda conhecida pela sigla em espanhol FARC não deveria mais ser listada, disse o oficial.

    Mas os dois grupos dissidentes que se formaram a partir das FARC, La Segunda Marquetalia e FARC-EP, ou Exército do Povo, seriam designados como organizações terroristas estrangeiras, disse o oficial.

    “É um realinhamento para lidar com as ameaças atuais”, disse o funcionário. “As FARC que existiam cinco anos atrás não existem mais.”

    Fundadas em 1964, as FARC foram responsáveis ​​por execuções sumárias e sequestros de milhares de pessoas, incluindo americanos.

    Na terça-feira, a Reuters informou que os Estados Unidos estavam se preparando retirar as FARC da lista cinco anos depois que o grupo assinou um acordo de paz com Bogotá.

    O Departamento de Estado notificou o Congresso dos Estados Unidos na terça-feira sobre o plano de fechamento das FARC. O governo colombiano foi formalmente notificado na quarta-feira.

    O governo da Colômbia não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

    A decisão permitirá que agências governamentais dos EUA, como a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional, trabalhem na implementação da paz em partes da Colômbia onde os soldados desmobilizados das FARC estão localizados, disse o oficial.“

    Esta é uma prioridade do governo colombiano na implementação do acordo de paz”, disse o responsável.