Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ex-líder da Escócia, Nicola Sturgeon, é detida em meio a investigação sobre finanças

    Operação investiga o uso de 702 mil euros em donativos que seriam destinados para uma campanha política independente

    Da CNN*

    A ex-primeira ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, foi detida como parte da investigação policial sobre as finanças do Partido Nacional Escocês (SNP), informou a PA Media do Reino Unido neste domingo (11).

    O The Guardian afirma que a antiga governante, que renunciou ao cargo de primeira-ministra e líder do SNP há dois meses, é a terceira pessoa a ser detida no âmbito da Operação Branchform, lançada em 2021 e que investiga o uso de 702 mil euros (600 mil libras) em donativos que seriam destinados para uma campanha política independente.

    Peter Murrell, ex-presidente-executivo do partido e marido de Sturgeon, e o ex-tesoureiro Colin Beattie já tinham sido detidos a propósito desta investigação, mas ambos foram libertados sem qualquer acusação, embora ainda estejam a decorrer análises ao processo.

    Em comunicado compartilhado com a imprensa escocesa e publicado no Twitter, a Polícia da Escócia revela que “uma mulher de 52 anos foi presa hoje, domingo, 11 de junho de 2023, como suspeita na ligação com a investigação em andamento sobre o financiamento e as finanças do Partido Nacional Escocês”.

    O comunicado diz ainda que a mulher detida “está sob custódia e está a ser interrogada pelos detetives da Polícia da Escócia”.

    Sturgeon, que em nenhum momento atribuiu a sua demissão no final de março – após nove anos no cargo -, a estas suspeitas, defende a transparência das contas e os fundos angariados para a hipotética consulta.

    Este conteúdo foi criado originalmente em português (pt).

    versão original