Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ex-premiê do Paquistão e esposa são condenados a 14 anos de prisão por venda de presentes do Estado

    Khan já havia sido sentenciado a 10 anos de reclusão sob a acusação de revelar segredos do governo; Bibi, como é conhecido, se entrou logo após o veredicto, de acordo com seu partido

    Asif ShahzadAriba Shahidda Reuters

    Islamabade, Paquistão

    Um tribunal anticorrupção do Paquistão condenou e ex-primeiro-ministro do Paquistão Imran Khan e sua esposa, Bushra Khan, por 14 anos de prisão cada, sob a acusação de vender ilegalmente presentes do Estado, segundo disse seu partido nesta quarta-feira (31). É a terceira condenação do ex-premiê nos últimos meses.

    O veredicto também inclui uma desqualificação de 10 anos para ocupar cargos públicos, disse seu partido, o Paquistão Tehreek-e-Insaf (PTI). Bushra Khan, comumente conhecida como Bushra Bibi, entregou-se para prisão logo após o veredicto, acrescentou o PTI.

    A pena de prisão de 14 anos é mais severa do que a sentença de 10 anos dada a Khan na terça-feira sob a acusação de revelar segredos de Estado, e apenas uma semana antes das eleições nacionais.

    “Mais um dia triste na história do nosso sistema judicial, que está sendo desmantelado”, disse a equipe de comunicação social de Khan, negando a acusação de que quaisquer atos ilegais tenham sido cometidos.

    “Não são permitidos questionamentos cruzados, nenhum argumento final é concluído e a decisão surge como um processo pré-determinado em jogo”, afirmou, acrescentando que “esta decisão ridícula também será contestada”.

    Khan e sua esposa são acusados ​​de vender ilegalmente presentes no valor de mais de 140 milhões de rúpias (US$ 501 mil) em posse do Estado e recebidos durante seu mandato de 2018 a 2022.

    Autoridades governamentais alegaram que os assessores de Khan venderam os presentes em Dubai.

    Uma lista desses presentes compartilhada por um ex-ministro da Informação incluía perfumes, joias com diamantes, jogos de jantar e sete relógios, seis deles Rolexes – sendo o mais caro uma “edição limitada Master Graff” avaliada em 85 milhões de rúpias (mais de R$ 1,504.891).

    Khan também foi condenado a três anos de prisão em agosto pela mesma acusação por outro tribunal, mas a sentença foi suspensa após recurso .

    O veredicto de quarta-feira seguiu-se a uma investigação concretizada pelo principal órgão anticorrupção do país, o National Accountability Bureau (NAB), que também acusou a sua esposa no caso.

    A condenação de Bushra é uma tentativa de pressionar ainda mais Khan, segundo disse o presidente interino e advogado do PTI, Gohar Ali Khan, em entrevista à televisão. “Bushra Bibi não tem ligação com este caso”, acrescentou.

    Embora Khan tenha sido considerado culpado nos outros dois casos, esta é a primeira sentença para sua esposa. Os dois se casaram em 2018, meses antes de Khan ascender ao cargo de primeiro-ministro pela primeira vez. Foi o terceiro casamento de Khan após dois divórcios.

    Um membro da equipe de acusação, falando à Reuters sob condição de anonimato, confirmou o veredicto.

    Um veredicto detalhado será divulgado em breve, disse ele. A emissora local Geo News informou que o veredicto também veio acompanhado de uma grande multa.

    A condenação anterior de Khan resultou numa proibição de cinco anos de ocupar cargos públicos, afastando o homem de 71 anos das eleições de 8 de fevereiro. O veredicto de quarta-feira, no entanto, significa que ele será inelegível para ocupar o cargo até completar 81 anos.

    (Reportagem de Asif Shahzad, Ariba Shahid e Shivam Patel; escrito por Gibran Peshimam; editado por YP Rajesh e Raju Gopalakrishnan)