Famílias na Ucrânia lotam estação de metrô que virou abrigo antiaéreo improvisado

Repórter da CNN Kharkiv flagrou famílias inteiras se abrigando em estação do metrô enquanto sons de ataques foram ouvidos na cidade

Adrienne Vogt e Clarissa Wardda CNN

Kharkiv

Ouvir notícia

Famílias, incluindo crianças pequenas e animais de estimação, lotaram uma estação de metrô que está servindo como abrigo antiaéreo em Kharkiv, na Ucrânia, nesta quinta-feira (24), desde que a Rússia começou a atacar a Ucrânia desde as primeiras horas do dia.

“É absolutamente surreal. Ontem [23], isso estaria cheio de passageiros indo e voltando para o trabalho. Hoje, tornou-se um abrigo antiaéreo improvisado”, relatou a principal correspondente internacional da CNN, Clarissa Ward.

A repórter informou que ela e sua equipe estavam do lado de fora quando então ouviram uma “série de baques”.

“As pessoas começaram a entrar aqui… Essas pessoas estão assustadas. Estão confusas. Estão desesperadamente incertas sobre o que devem fazer, por quanto tempo podem se abrigar aqui, para onde vão a partir daqui, ” ela disse.

Uma mulher disse a Ward que pegou os itens necessários com ela. “Apenas documentos e algum dinheiro, e principalmente não podemos aceitar dinheiro porque não tenho certeza se posso pagar com cartão agora. E não tenho certeza se posso chegar a qualquer lugar de Kharkiv por enquanto”, disse ela.

Ela tem um carro, mas disse que não tem certeza de “estar segura na Ucrânia em qualquer cidade”.

Mais cedo, Fred Pleitgen, da CNN, testemunhou foguetes que pareciam ser lançados da região de Belgorod, na Rússia, sobre a fronteira perto de Kharkiv, bem como veículos militares indo em direção à estrada que leva à cidade.

Kiev: bunkers e trânsito caótico

Na capital ucraniana, Kiev, estações de metrô também viraram bunkers improvisados. Testemunhas na cidade disseram à CNN que as estações estão lotadas de pessoas carregando suprimentos e organizadas em grupos. As estações estão cheias – mas não de trens em si, que ainda estavam funcionando sem problemas.

Fotos de pessoas em fuga começaram a surgir na manhã desta quinta-feira (24) e também do tráfego pesado, com longas filas de carros saindo de Kiev.

“Enquanto ouvimos essas sirenes [de ataque aéreo], você pode imaginar o pânico que as pessoas desta cidade estão sendo sacudidas de suas camas com essas explosões estrondosas que estão ocorrendo ao nosso redor”, disse Matthew Chance, da CNN, em Kiev, hoje.

“Todo esse tráfego está indo em uma direção… dirigindo o mais rápido possível para o oeste em direção às áreas mais seguras, se você quiser, do país, talvez para a Polônia, que fica a três ou quatro ou cinco horas de carro de daqui. Você pode ver que é quase um fluxo constante de tráfego os moradores deste país movendo-se para o oeste, na direção oposta da Rússia.”

Entenda o ataque

Após semanas de tensão, a Rússia atacou a Ucrânia nas primeiras horas da madrugada desta quinta. Uma operação militar nas regiões separatistas do leste ucraniano, explosões e sirenes foram ouvidas em várias cidades do país.

Autoridades da Ucrânia informaram que dezenas de pessoas morreram e seis aviões russos teriam sido destruídos. Na manhã desta quinta, longas filas se formaram nas principais avenidas de Kiev com moradores tentando deixar a região. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, convocou a população para defender o país e disse que “cidadãos podem utilizar armas para defender território”.

Em seu pronunciamento antes do ataque, Putin justificou a ação ao afirmar que a Rússia não poderia “tolerar ameaças da Ucrânia”. Putin recomendou aos soldados ucranianos que “larguem suas armas e voltem para casa”. O líder russo afirmou ainda que não aceitará nenhum tipo de interferência estrangeira.

Mais Recentes da CNN