FBI prende dez brasileiros por suspeita de fraude financeira nos Estados Unidos

Ao total, 19 brasileiros são acusados de conspiração; eles são suspeitos em um esquema de criação de contas falsas para motoristas e entregadores de aplicativos

Sede do FBI em Washington, nos Estados Unidos
Sede do FBI em Washington, nos Estados Unidos Foto: Samuel Corum/Anadolu Agency/Getty Images

Rafaela Lara, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Nos Estados Unidos, dez brasileiros foram presos pelo FBI (Federal Bureau of Investigation) suspeitos de integrarem um esquema de criação de contas falsas para motoristas e entregadores de aplicativos. Ao total, dezenove brasileiros são suspeitos de participação no esquema de fraude financeira e são acusados de conspiração.

As fraudes aconteceram de abril de 2019 até, pelo menos, abril desde ano e afetaram cinco empresas diferentes.

Os investigadores acreditam que mais de 2 mil vítimas tiveram suas identidades roubadas e usadas indevidamente no esquema. De acordo com o FBI, a fraude era “extensa” e violava a privacidade dos clientes de aplicativos permitindo que “motoristas não qualificados trabalhassem em serviços de transporte compartilhado e de entrega de comida”. 

“Milhões de nós contam com esses serviços todos os dias para transporte e para a entrega de refeições e mantimentos em casa. Eles são uma parte importante da economia, especialmente agora. Alegamos que os conspiradores se aproveitaram disso para roubar as identidades dos clientes ao fazer entregas e usar essas identidades roubadas para configurar contas fraudulentas”, disse em nota o procurador Nathaniel R. Mendell.

Os dezenove brasileiros são acusados de aplicar o golpe em todo o país. Segundo o FBI, o esquema seria difícil de ser descoberto sem a ajuda das empresas vítimas no caso. 

“Geralmente, as contas eram alugadas ou vendidas a indivíduos que não se qualificavam para dirigir para os serviços de transporte compartilhado e entrega porque não atendiam às qualificações mínimas, não eram elegíveis para trabalhar nos Estados Unidos ou não podiam passar por uma verificação de histórico”, diz a nota do FBI.

Os acusados ainda são suspeitos de usarem robôs e tecnologias que falsificavam localizações por GPS. Nove brasileiros permanecem foragidos. As penas para esse tipo de crime nos Estados Unidos podem chegar até 20 anos de prisão. Os valores totais das fraudes praticadas pelo grupo não foram revelados pelo FBI. 

Os brasileiros presos nos Estados Unidos são: 

• Wemerson Dutra Aguiar, 25, residente em Lynn e Woburn, Massachusetts;
• Priscila Barbosa, 35, residente em Saugus, Massachusetts;
• Edvaldo Rocha Cabral, 41, residente em Lowell, Massachusetts;
• Clovis Kardekis Placido, 37, residente em Citrus Heights, Cali;
• Guilherme Da Silveira, 28, residente em Revere, Massachusetts;
• Flavio Candido Da Silva, 35, residente em Revere, Massachusetts;
• Altacyr Dias Guimarães Neto, 34, residente em Kissimmee, Flórida;
• Bruno Proencio Abreu, 28, residente em Saugus, Massachusetts;
• Jordano Augusto Lima Guimaraes, 34, residente em Salem, Massachusetts;
• Alessandro Felix Da Fonseca, 25, residente em Revere, Massachusetts

Mais Recentes da CNN