Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Filha de Trump diz em julgamento que não se lembra de detalhes dos negócios da empresa do seu pai

    Ao contrário dos irmãos e do pai, Ivanka Trump não é ré no caso

    Ivanka Trump, filha do ex-presidente dos EUA Donald Trump, em Nova York
    Ivanka Trump, filha do ex-presidente dos EUA Donald Trump, em Nova York 08/11/2023REUTERS/Andrew Kelly

    Jack QueenLuc Cohenda Reuters

    Nova York

    Ivanka Trump, filha de Donald Trump, afirmou nesta quarta-feira (8) que não se lembrava de detalhes de negócios imobiliários nos quais trabalhou na empresa de seu pai, em depoimento no julgamento de fraude civil em Nova York, que ameaça o império de empresas do ex-presidente dos Estados Unidos.

    Tal como os seus irmãos Donald Trump Jr. e Eric Trump, que testemunharam na semana passada, Ivanka procurou se distanciar dos métodos de avaliação, que já foram considerados fraudulentos pelo juiz que supervisiona o julgamento.

    Trump, pelo contrário, reconheceu no banco das testemunhas que algumas das avaliações de campos de golfe, torres de escritórios e outros ativos da empresa eram imprecisas.

    A ação movida pela procuradora-geral de Nova York, Letitia James, acusa Trump e as empresas da sua família de manipularem valores de ativos imobiliários para enganar credores e seguradoras e embelezar a reputação de Trump como um empresário de sucesso.

    Ao contrário de seus irmãos e pai, Ivanka Trump não é ré no caso.

    Como executiva de alto escalão da Organização Trump entre 2011 e 2017, Ivanka disse que se concentrou na reconstrução do campo de golfe Doral, na Flórida, e na propriedade Old Post Office, em Washington.

    No julgamento, foi mostrado a ela um e-mail de 2011 no qual ela reconhecia que a exigência do banco Deutsche Bank de que o seu pai mantivesse um patrimônio líquido de pelo menos US$ 3 bilhões era um problema, mas encorajou os responsáveis da empresa a aprová-la mesmo assim.

    “Queríamos obter uma taxa excelente, e a única maneira de obter recursos/prazo e principal onde os queremos é garantindo o negócio”, escreveu ela a um advogado da Organização Trump.

    Os dois lados finalmente concordaram em definir o requisito de patrimônio líquido em US$ 2,5 bilhões, embora seu pai reivindicasse um patrimônio líquido de US$ 4,3 bilhões naquele ano.

    No banco das testemunhas, ela disse que era a favor do acordo, mas não se lembrava dos termos específicos. “Senti que, em geral, os termos do acordo com o Deutsche Bank para Doral foram positivos”, disse ela.

    Ela também viu um e-mail de 2011 que recebeu do governo federal expressando preocupação com irregularidades nos demonstrativos financeiros de Trump, já que a empresa propunha reconstruir o Old Post Office, uma propriedade federal.

    Ela novamente disse que não se lembrava de detalhes. “Houve muitos e-mails, muitas conversas”, disse.

    Trump, que está na frente dos seus rivais para a nomeação presidencial republicana de 2024, apesar de um turbilhão de problemas jurídicos, negou qualquer irregularidade e acusou James e o juiz Arthur Engoron de preconceito político e “interferência eleitoral”.

    Ele repetiu essas afirmações nas redes sociais na noite de terça-feira, dizendo que era “triste!” que Ivanka estava sendo forçada a testemunhar.

    Veja também – Trump: Governo Biden financiou ataques a Israel