Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    França enviará navio para operação de resgate do submarino desaparecido

    Uma aeronave do Canadá e dois navios de pesquisa dos Estados Unidos também reforçam as buscas, que começaram a acontecer em águas mais profundas; veículo realizaria visita aos destroços do Titanic, no Atlântico Norte 

    Submarino que levava turistas aos destroços do Titanic desaparece no Atlântico.
    Submarino que levava turistas aos destroços do Titanic desaparece no Atlântico. Reuters

    Da CNN

    A França enviará um navio equipado com uma embarcação de mergulho em alto mar para a operação de resgate após o desaparecimento de um submersível que levou turistas para visitar o local dos destroços do Titanic, disse o Ministério da Educação da França nesta terça-feira (20).

    O navio, chamado Atalante, é administrado pelo instituto de pesquisas Ifremer, que atua sob a alçada do ministério.

    Uma fonte do governo francês acrescentou que um cidadão francês estava entre as pessoas a bordo do navio.

    Até agora, 10 mil milhas quadradas foram vasculhadas até agora na busca pelo submarino desaparecido rumo ao Titanic, diz a Guarda Costeira. O número corresponde a cerca de 26 mil quilômetros quadrados, o equivalente à área do estado de Alagoas.

    Uma aeronave canadense P3 Aurora chegou para ajudar a conduzir pesquisas de sonar, tuitou a Guarda Costeira. Duas naves de pesquisa, R/V Polar Prince e R/V Deep Energy, também continuam as buscas na superfície.

    Embora grande parte das operações tenham sido focada na superfície da água, a equipe agora tem capacidade de busca subaquática no local, disse o Comandante do Primeiro Distrito da Guarda Costeira dos EUA, Contra-Almirante John Mauger.

    As aeronaves Canadian Air Craft, USCG e New York Air National Guard voaram sobre uma área aproximadamente do tamanho de Connecticut , disse ele à CNN. Isso representa o equivalente a 13 mil quilômetros quadrados ou mais da metade do tamanho de Sergipe.

    / CNN

    Mauger disse que se reuniu com o comando unificado ontem à noite, que inclui a Marinha dos EUA, a Guarda Costeira canadense e as Forças Armadas canadenses, bem como a expedição Ocean Gate, a empresa que possui e administra o submersível desaparecido.

    A Ocean Gate, por ter mais familiaridade com o local e saber onde o submersível estava operando, está ajudando a definir prioridades, acrescentou.

    “Nossos pensamentos, enquanto continuamos com a busca, estão com os membros da tripulação e suas famílias neste momento”, disse Mauger, acrescentando que as equipes estão trabalhando duro para “garantir que possamos localizar o submersível”.

    “À medida que continuamos com esta busca… trabalhamos durante a noite com um amplo grupo de parceiros para trazer todos os recursos para olhar tanto na superfície quanto agora expandindo para um subsolo na área”, afirmou.

    Ocupantes do submersível

    Cinco pessoas estão no submersível que seguia em direção ao Titanic. Um deles é Hamish Harding, empresário e aventureiro britânico que mora nos Emirados Árabes Unidos. Ele é dono de uma empresa chamada Action Aviation, que compra e vende aeronaves, incluindo jatos executivos.

    Harding era um dos passageiros no voo espacial da Blue Origin em junho de 2022 e foi uma das primeiras pessoas a viajar no Challenger Deep no Oceano Pacífico – o ponto mais profundo conhecido na Terra.

    O empresário postou em suas redes sociais no sábado (17) que o mergulhador Paul-Henri Nargeolet iria viajar com ele no domingo. A CBC News conversou com Larry Daley, um mergulhador de St. John’s, que também disse que Nargeolet estava na expedição.

    “A equipe do submarino tem alguns exploradores lendários, alguns dos quais fizeram mais de 30 mergulhos no RMS Titanic desde a década de 1980, incluindo PH Nargeolet”, disse Harding no Instagram.

    CNN tentou entrar em contato com Nargeolet de forma independente, mas sem sucesso. Nargeolet liderou várias expedições ao Titanic e supervisionou a recuperação de muitos artefatos do naufrágio, de acordo com o E/M Group, onde Nargeolet era diretor de pesquisa subaquática.

    O empresário paquistanês Shahzada Dawood e seu filho Sulaiman também estavam a bordo, de acordo com um comunicado divulgado pela família nesta terça-feira (20). Shahzada é curador do Instituto Seti, uma organização de pesquisa na Califórnia, de acordo com seu site.

    Ele também é vice-presidente da Dawood Hercules Corporation, parte do Dawood Group, um conglomerado de vários negócios pertencentes à família.

    O último nome a ser informado como ocupante do submersível é Stockton Rush, CEO e fundador da OceanGate, empresa que lidera a viagem, segundo uma fonte com conhecimento do plano da missão. A CNN entrou em contato com a OceanGate para comentar, mas não recebeu uma resposta imediata.

    (Publicado por Fábio Mendes, com informações da Reuters e de Lou Robinson e Celina Tebor da CNN)