Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Fugitivos russos chegam ao Cazaquistão para escapar da guerra

    Segundo o governo cazaque, mais de Mais de 200 mil russos entraram no país após o anúncio de recrutamento feito por Vladmin Putin

    Chegadas russas em fila em um centro de registro em Almaty, Cazaquistão
    Chegadas russas em fila em um centro de registro em Almaty, Cazaquistão Rebecca Wright/CNN

    Da CNN

    Em Almaty, Cazaquistão

    Vadim diz que mergulhou em depressão no mês passado depois que o presidente russo, Vladimir Putin, anunciou um alistamento militar para enviar centenas de milhares de recrutas para lutar na Ucrânia.

    “Fiquei em silêncio”, diz o engenheiro de 28 anos, explicando que simplesmente parou de falar enquanto trabalhava. “Eu estava com raiva e com medo.”

    Quando  a invasão da Ucrânia pela Rússia  começou em fevereiro, Vadim diz que foi às ruas de Moscou para protestar – mas a ordem de Putin em 21 de setembro de convocar pelo menos 300 mil homens para lutar parecia um ponto sem volta.

    “Nós não queremos essa guerra. Não podemos mudar algo em nosso país, embora tenhamos tentado”, diz Vadim.

    Ele decidiu que só tinha uma opção. Vários dias após o pedido de recrutamento de Putin , ele se despediu de sua avó com lágrimas e deixou sua casa em Moscou – potencialmente para sempre.

    Vadim e seu amigo Alexei viajaram o mais rápido que puderam para a fronteira da Rússia com a ex-república soviética do Cazaquistão , onde esperaram na fila por três dias para atravessar.

    “Nós fugimos da Rússia porque queremos viver”, diz Alexei. “Temos medo de que possamos ser enviados para a Ucrânia.”

    Ambos os homens pediram para não serem identificados, para proteger entes queridos deixados para trás na Rússia.

    Na semana passada, na capital comercial do Cazaquistão, Almaty, eles ficaram na fila com mais de 150 russos recém-chegados do lado de fora de um centro de registro do governo – parte de um êxodo de trapaceiros.

    Mais de 200 mil russos entraram no Cazaquistão após o anúncio de recrutamento de Putin , de acordo com o governo cazaque.

    E não é difícil identificar as novas chegadas russas na principal estação ferroviária de Almaty. A cada hora, ao que parece, jovens eslavos emergem do trem usando mochilas, parecendo um pouco atordoados enquanto consultam seus telefones para obter instruções.

    Eles chegam de cidades de toda a Rússia: Yaroslavl, Togliati, São Petersburgo, Kazan. Quando perguntados por que saíram, todos dizem a mesma coisa: mobilização.

    “Não é algo que eu queira participar”, diz um programador de computador de 30 anos chamado Sergei. Ele se sentou em um banco do lado de fora da estação de trem com sua esposa, Irina. O casal, segurando mochilas e colchões de dormir enrolados, disse que esperava viajar para a Turquia e, esperançosamente, solicitar vistos Schengen para a Europa.

    *De Ivan Watson, Rebecca Wright, Tom Booth e Dinara Salieva