Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governador do Texas culpa Biden por imigrantes mortos em caminhão

    Nas redes sociais, Greg Abbott afirmou que tragédia é "resultado da política mortal de fronteiras abertas"

    Greg Abbott, governador republicano do Texas
    Greg Abbott, governador republicano do Texas Reuters/Lucas Jackson

    Henrique Andradeda CNN

    São Paulo

    Ouvir notícia

    Pelo menos 46 imigrantes foram encontrados mortos dentro de um caminhão nesta segunda-feira (27) em San Antonio, no estado norte-americano do Texas, informou o Corpo de Bombeiros da cidade, em um dos mais recentes incidentes envolvendo mortes na fronteira dos Estados Unidos com o México.

    Nas redes sociais, o governador do estado, o republicano Greg Abbott, culpou o presidente dos EUA, Joe Biden, pelas mortes. “Essas mortes são culpa de Biden. São resultado de sua política mortal de fronteiras abertas. Elas evidenciam as consequências mortais de sua recusa em fazer cumprir a lei”.

     

    O ministro das Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, escreveu que a asfixia dos migrantes no caminhão é considerada uma “tragédia no Texas”, e disse que o consulado local estava a caminho do local, embora as nacionalidades das vítimas ainda não tenham sido confirmadas.

    Desde o início do ano, o Departamento de Proteção de Fronteira dos EUA tem registrado número recorde de imigrantes detidos. Até maio deste ano, 1.536.899 pessoas vindas de El Salvador, Guatemala, Honduras e México foram detidas pelo Departamento.

    Em apenas cinco meses, o número já supera os registros de 2019 e 2020 e já equivale a 89% do observado no ano passado.

    O elevado fluxo de imigrantes tem gerado críticas da oposição a Biden, que continua relaxando medidas adotadas pelo governo Trump contra diversas nações da América Latina.

    No mês passado, o governo anunciou uma série de medidas que visam apoiar o povo cubano, incluindo o restabelecimento do Programa de Liberdade Condicional da Reunificação Familiar Cubana e o aumento dos serviços consulares e do processamento de vistos.

    Mais Recentes da CNN